Polícia prende três ativistas de organização cristã

| 14/11/2007 - 00:00


A Polícia do Egito prendeu na madrugada do último sábado três ativistas cristãos acusados de "propagar idéias radicais com o objetivo de instigar um conflito religioso" no país, afirmou à Agência Efe o advogado dos presos, Mamduh Ramzi.

Os acusados são o advogado da Organização de Cristãos do Oriente Médio (MECA, sigla em inglês), identificado como Mamduh Azmi, detido em Alexandria, e dois membros do mesmo organismo, presos no Cairo. A organização defende os direitos da minoria cristã no Egito.

Ramzi disse que, depois de várias horas de interrogatórios, a Procuradoria de Segurança do Estado ordenou que os homens ficassem detidos durante 15 dias, tempo que poderia ser renovado no dia 24 de novembro.

Segundo o advogado, entre as acusações estão a de divulgar informações falsas que podem causar danos ao patrimônio público e participar da publicação pela internet de um Alcorão falsificado.

As novas prisões ocorreram depois que, no dia 5, as autoridades libertaram o diretor da entidade, Adel Fawzi, e o fotógrafo do site da Organização dos Coptas Unidos, Peter Izzat Hanna, após terminar o período máximo de três meses de prisão preventiva pela acusação de proselitismo entre os muçulmanos ( leia mais).

"Acho que voltaram a deter outros membros da organização só para assustá-los, mas também vão soltá-los porque não há provas como gravações ou relatórios com suas assinaturas", disse Ramzi.

Os coptas são a comunidade cristã do Egito e do norte da África.

A Organização de Cristãos do Oriente Médio é um dos grupos que defendem os interesses da minoria copta no Egito, que representa um sexto da população e denuncia discriminação pela maioria muçulmana.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco