Professora britânica é libertada após indulto do presidente sudanês

| 03/12/2007 - 00:00


A professora britânica Gillian Gibbons, detida no Sudão por permitir que seus alunos batizassem um urso de pelúcia como Maomé, foi libertada hoje, após obter o indulto presidencial, disse um de seus advogados.

O advogado Kamal al-Jizuri afirmou que a professora foi transferida para a embaixada britânica em Cartum e que é possível que retorne a seu país com os dois parlamentares britânicos que negociaram sua libertação.

Após a decisão do presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, de indultar Gibbons, cerca de 300 pessoas se concentraram em frente à embaixada britânica para protestar contra a medida.

Os manifestantes, que pertencem a grupos religiosos islâmicos e de tendência sufi, gritaram palavras de ordem contra o Governo britânico e pediram a execução da professora por esta ter insultado o Islã.

Uma ampla operação policial em torno da embaixada impediu o acesso dos manifestantes à delegação, onde neste momento está Gibbons, acompanhada pelos dois parlamentares muçulmanos britânicos, Nazir Ahmed (trabalhista) e a baronesa Sayeeda Hussain Warsi (conservadora), que negociaram a libertação da professora.

A professora, que ensinava crianças de sete anos na Unity High School em Cartum, tinha sido condenada a quinze dias de prisão e a posterior deportação, por ter colocado em um urso de pelúcia o nome de Maomé, o profeta do Islã. 

No fim de semana, centenas de radicais muçulmanos foram às ruas para pedir a execução da professora. O clima de tensão no país ainda permanece.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco