Pastores presos montaram piscas-piscas natalinos

| 27/12/2007 - 00:00


Os dedos sangram. Se eles não derem a quota diária de dinheiro aos guardas, são espancados. Todos os movimentos são seguidos por olhares autoritários. Manuseando fios fininhos, eles amarram metros e metros de cordões junto a lâmpadas de plástico que serão acesas em diversas partes do mundo para celebrar o Natal dos cristãos.

A celebração destes homens, no entanto, será confinada na prisão. O crime cometido por eles? Pregar o evangelho de Jesus Cristo, exatamente o que não podem fazer livremente na China, mas o que cristãos em diversas partes do mundo farão.

Muitos cristãos já enfeitaram ou enfeitarão suas casas e suas árvores de Natal com os pisca-piscas produzidos por esses irmãos confinados. A jornada de trabalho deles é de 16 a 20 horas por dia.

Ao longo deste ano, mais de 600 pastores e líderes cristãos  foram colocados atrás das grades por causa de sua fé.

Ore por perseverança

Pastores e líderes cristãos chineses pedem orações para que recebam perseverança. Mas eles não pedem para que a perseguição pare. Eles crêem que os açoites e a privação sejam positivos para o seu ministério.

Lembre-se de interceder por esses homens e mulheres que vivem na China e que com o seu trabalho estão acendendo luzes em todo o mundo para honrar o nascimento de Jesus.

Estima-se que a igreja não-registrada, clandestina, na China, já tenha 80 milhões de seguidores.

“A perseguição para esses pastores é proporcional ao bom trabalho que eles estão realizando para Jesus. Eles vêem esse tempo de aprisionamento como uma oportunidade ministerial única”, diz o pastor Tom Henry, que já passou um período preso na China. "Só não esqueçam de orar por eles".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE