Partido islâmico pede para governo conter atividades missionárias

Os Legisladores do partido político islâmico argelino de al-Nahda pediram ao governo para intervir "nas atividades de missionários cristãos no país".

O parlamentar argelino Muhammad Hudeibi foi citado pelo "Jornal de al-Khabar" como o autor do pedido.

“Queremos que o governo reduza este tipo de atividade porque a expansão do evangelismo na Argélia se tornou um problema importante e não é marginal como alguns pensam que é", disse Hudeibi.

Durante alguns anos, a mídia local na Argélia fez uma série de reportagens sobre as atividades de vários missionários, particularmente de igrejas evangélicas e protestantes, sobre o sucesso na conversão de famílias argelinas inteiras ao cristianismo, provenientes da área oriental de Kabilia.

Pressão

“Nós condenamos o silêncio do governo com respeito a este fenômeno", disse o parlamentar argelino. "Nós estamos coletando assinaturas de outros legisladores para começar uma discussão no Parlamento a respeito deste problema", disse ele.

“Todos os 11 parlamentares de al-Nahda foram mobilizados, mas estamos convencidos de que outros também nos ajudarão", afirmou Hudeibi.

O partido islâmico também pediu ao ulemá argelino, a estudantes islâmicos e ao imã local para que dessem a opinião deles sobre a questão do evangelismo cristão.