Juiz solta menor que ameaçava o pastor Orhan Picaklar

| 16/01/2008 - 00:00


Um juiz da Turquia, da cidade de Samsun, na costa do Mar Negro, deu liberdade a um jovem que confessou no último dia 6 de janeiro ter feito ameaças de morte, por telefone, contra um pastor e sua igreja, um dia depois de ter sido preso.

O juiz Sinan Sonmez, do Primeiro Tribunal de Pequenas Causas para Menores, decidiu que Semih Seymen, de 17 anos, deveria ser solto "por ser ainda muito jovem."

O adolescente foi detido na véspera do Natal em Ordu, perto de Samsun. O juiz, porém, determinou que o jovem não saia do país, pois está sob supervisão da justiça.

Réu confesso

Ao ser interrogado pelos policiais que o prenderam, Seymen declarou que se irritou depois de ter lido comentários no website da Igreja Ágape de Samsun e que, por isso, pegou o telefone do pastor Orhan Picaklar e ligou várias vezes para ameaçá-lo, no dia 29 de dezembro.

De acordo com a declaração de Seymen feita à polícia, ele disse ao pastor Picaklar: "Você vai morrer". O adolescente contou ainda que o pastor calmamente respondeu: "Todos nós morreremos um dia."

Brincadeira de criança

O menor afirmou que não planejou levar adiante as ameaças. "Só fiz isso para que ficasse com medo", disse o menor. O advogado dele declarou que "não havia nenhuma evidência contra seu cliente".

E o Primeiro Tribunal concluiu que o jovem promoveu os telefonemas ameaçadores contra o pastor "simplesmente por aventura."

O pastor reportou as ameaças à polícia e lembrou que cinco cristãos foram mortos por jovens extremistas nos últimos dois anos na Turquia. Líderes cristãos têm recebido ameaças semelhantes ( leia mais).

Exibição

O jovem chegou a admitir que chamou os amigos no sábado à noite (5 de janeiro), para "se exibir e dizer que ia promover um massacre às 11 da manhã do dia seguinte na Igreja Ágape, durante um culto dominical".

Alegando que estava um pouco bêbado na ocasião, ele disse que falou ao amigo: "Você vai me assistir na televisão." Seymen foi preso na casa dele algumas horas depois.

Escuta telefônica

A polícia estava monitorando o telefone do adolescente desde que o pastor informara sobre as ameaças.

A polícia achou uma arma carregada com dois espaços para bala vazios na posse de Seymen. O jovem estuda no ensino fundamental e trabalha em uma empresa de construção civil.

O menor negou que tenha contato com qualquer grupo ou pessoa que estivesse incentivando a agressão contra o pastor e insistiu que as ameaças foram de sua inteira responsabilidade.

O pastor contestou a decisão da Justiça. "Ele é um réu confesso. Vai ficar livre só porque é menor?", questionou. Ele contou que os últimos atentados contra cristãos foram promovidos por jovens com menos de 18 anos.

Além disso, Orhan Picaklar, não acredita que o rapaz esteja sozinho, pois um caso semelhante aconteceu na véspera do Natal com o pastor Ramazon Arkan, em Antalya.

Ex-muçulmano convertido aos cristianismo há 15 anos, o pastor Orhan pastoreia a Igreja Ágape desde 2003.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE