Líderes proeminentes de Fangcheng são presos

Dois líderes proeminentes da igreja doméstica de Fangcheng, Tian Ming-ge e Su Dean, foram presos no dia 20 de dezembro na cidade de Jiuquan, de acordo com a Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês).

Su Dean e Tian Min-ge (também conhecido carinhosamente como “tio Jin”) estavam no meio de um culto com seu cooperador, Wang Hongliang, quando autoridades locais interromperam e prenderam os pastores.

Os três líderes da igreja foram acusados de “reunirem-se em uma assembléia ilegal sob fachada religiosa”.

Wang foi solto depois de 15 dias preso, enquanto as penalidades de Tian e Su Dean foram elevadas no dia 5 de janeiro de 2008.

Tio Jin: a luta para unificar diferentes denominações

Com a cabeça raspada e o uniforme do presídio, o missionário de 71 anos, Tian Jian, foi escoltado por autoridades do Centro de Detenção Jiuquan ao departamento de segurança pública de Fangcheng, em Henam.

“Tio Jin” esteve intrinsecamente envolvido no desenvolvimento e crescimento da igreja doméstica chinesa desde que se tornou cristão, em 1977.

Solteiro e retraído, Tian devotou os últimos 20 anos de sua vida ao trabalho missionário integral na China. Ele fundou a equipe administrativa da igreja de Daging, da província de Heilongjiang, e em julho de 1994 foi eleito um dos sete maiores líderes da igreja doméstica em Fangcheng, sua terra natal.

Em 1977, Tian esteve envolvido no trabalho missionário para unir todas as igrejas domésticas na China. Junto com Zhang Rongliang ( leia mais) e líderes de várias denominações diferentes, ele trabalhou com o conselho para educar e unificar as diferentes denominações de doutrina cristã ortodoxa.

O grupo também declarou oficialmente que a igreja doméstica chinesa não era um culto. Depois disso, Tian tem feito incontáveis esforços para eliminar rumores, desentendimentos e divisões entre as várias denominações.

Na primavera de 1994, Tian foi preso pelos oficiais do Partido Comunista Chinês por receber o pastor Dennis Balcombe, de Hong Kong, em casa.

No final, Tian foi libertado da prisão sob condicional médica. Ele foi preso novamente em 2007 pelos oficiais de Fengcheng, enquanto falava sobre o cristianismo fora de sua cidade e solto depois de cumprir a pena de um ano.

Administrador e orador

Su Dean, amigo e cooperador de Tian, foi comissionado pela igreja de Fengcheng a ensinar na província de Sichuan. Um palestrante eloqüente, Su já falou em mais de 30 cidades em Sichuan.

Su administrava um ministério com mais de 200 mil cristãos. Ele também liderou esforços para treinar e equipar missionários de tempo integral.

Pela devoção ao progresso e crescimento da igreja chinesa, ambos Su e Tian, possuem grande influência entre os cristãos secretos na China.

A prisão destes altamente respeitados membros fundadores da igreja doméstica acontece depois da conferência do Partido Comunista Chinês decidir implementar sua política de “liberdade religiosa”.

Durante a conferência, o presidente Hu Jintao, reiterou sua última posição sobre questões religiosas e expressou novas idéias na implementação da liberdade religiosa na China. A proposta será medida pelo tratamento que Tian e Su receberão nas próximas semanas.

Liberdade religiosa

À luz dos mais de 50 anos de perseguição a seus líderes e membros, a igreja doméstica resiste fatigada das promessas retóricas do Partido Comunista Chinês.

A comunidade internacional deve usar o incidente de Tian e Su para incitar o Partido Comunista a manter sua promessa constitucional de liberdade religiosa. Faz 10 anos que a China assinou um tratado sobre direitos civis e políticos na ONU. É tempo de cumprir a promessa sobre questões religiosas.