Morre a senhora de 70 anos atacada por extremistas

Rahima Beoa, de 70 anos, que planejava ser batizada no dia 13 de fevereiro, no distrito de Rangpur, de maioria muçulmana, morreu na última sexta-feira, dia 1º de fevereiro, vítima das queimaduras que sofreu quando sua casa foi incendiada por extremistas islâmicos que ficaram raivosos ao ouvirem falar do batismo.

Ela estava em casa com o neto de nove anos quando os agressores atearam fogo na casa de madeira. O neto conseguiu fugir, mas ela teve queimaduras em 70% do corpo ( relembre o caso).

Nenhum parente ou vizinho veio ajudar a apagar o fogo. Um homem que se dizia médico tratou as queimaduras da anciã em outra casa porque a família não podia dispor tratamento em um hospital por ser cristã.

Perdão aos agressores

"Antes do enterro, os familiares perdoaram os agressores que puseram fogo na casa e oraram pedindo que o Senhor não permita que eventos como esse se repitam no país", contou Khaled Mintu, supervisor regional do distrito de Rangpur da denominação evangélica Isha-E-Jamat.

"Eles também oraram pedindo que muçulmanos e cristãos possam praticar a sua religião, lado a lado, em paz", contou Mintu.

Rahima Beoa era sogra do ex-muçulmano Ashraful Islam, 40 anos, que junto com a esposa se tornou cristão há dois anos. Parentes próximos e vizinhos muçulmanos ficaram irritados com a conversão do casal.