Nairóbi deixou de ser um lugar de refúgio

As mulheres de Amani Ya Juu escaparam de lutas incríveis pela vida na Somália, Etiópia e Sudão. Elas são vítimas inocentes da guerra e da violência que assola seus países e foram para Nairóbi, no Quênia, por ser um lugar mais seguro.

Essas mulheres e crianças marginalizadas escaparam de uma vida nas ruas, de favelas e de dores permanentes, tanto físicas quanto emocionais.

"No tempo de Deus, elas encontraram o abrigo Amani Ya Juu, que significa paz do alto, um porto seguro onde elas aprenderam a costurar coisas lindas para sustentar suas famílias e conheceram Jesus", conta Linda Young, do Kindred Spirits International.

"Elas costuram lado a lado, orando e apoiando umas as outras – mesmo aquelas pertencentes a tribos rivais", diz Linda.

Ela lembra que grupos de direitos humanos e oficiais do governo declararam que a violência no Quênia se tornou organizada, e as pessoas acreditam em teorias de conspiração. Por isso essas mulheres voltaram a se sentir inseguras.

"A violência explodiu neste lugar (Nairóbi) no último mês ( leia mais). Essas mulheres, muitas delas vivendo em favelas, temiam por suas vidas e testemunharam gangues queimarem e destruírem a cidade. Elas finalmente conseguiram se reunir nas instalações do Amani para orarem e costurarem, pois muitas igrejas fecharam as portas.

Por isso Linda pede que irmãos em todo o mundo orem pela paz no Quênia e pela continuidade de trabalhos de capacitação e evangelismo. Ore também por essas irmãs que estão sendo provadas em sua fé.