Ação ministerial a favor dos cristãos de Orissa

Desde que se iniciaram os ataques aos cristãos de Orissa, a equipe da Portas Abertas esteve a par da situação (leia mais). Vários telefonemas ao superintendente da polícia foram feitos em 25 de dezembro. O assunto foi discutido com a liderança cristã, tanto a local com a localizada em Nova Délhi. No dia 30 de dezembro, um de nossos contatos no local visitou a área atingida.

Ele pôde nos dar detalhes da situação direto do local, apesar do toque de recolher que foi imposto. Em parceria com a Associação Evangélica da Índia e contatos locais, estivemos envolvidos na distribuição de kits de ajuda imediata para aproximadamente 200 famílias.

A distribuição aconteceu entre os dias 4 e 10 de janeiro. Várias crianças em idade escolar que perderam seu material didático foram ajudadas com livros e cadernos novos. A equipe da Portas Abertas pôde se encontrar com líderes locais em Kandhamal, tanto cristãos quanto hindus e aconselhá-los.

Até o presente momento, o governo não permitiu que nenhuma organização prestasse ajuda. As autoridades estão fornecendo cuidados adequados e dada a delicadeza da situação, talvez essa seja a melhor maneira de evitar uma nova escalada de violência.

No futuro, os cristãos precisarão de ajuda financeira de longo prazo para reconstruírem suas casas. A Portas Abertas está fazendo a estimativa de quais são as necessidades nas áreas devastadas.

Em parceria com a Igreja do Norte da Índia (CNI, em inglês), temos inspecionado as áreas mais afetadas, Brahminigaon e Barkhama, para determinar o número de cristãos que perderam suas casas (leia mais).

O número de igrejas e de instituições afetadas também vem sendo verificado. Um seminário de reconciliação de duração de três dias está sendo organizado para acontecer nos dias 26 a 28 de fevereiro. Ore por essa empreitada.

Ore para que o seminário ajude a resolver os problemas étnicos existentes entre as comunidades pana e kui ( entenda o caso). Cerca de 500 bíblias e hinários no idioma kui estão sendo distribuídos, e 100 bíblias e hinários foram distribuídos no distrito administrativo.

Pedido Atual:

A maior necessidade é de reconstruir e fortalecer os cristãos economicamente. Aqueles que perderam suas casas e lojas precisam voltar a ser financeiramente independentes. A falta de posição econômica os coloca em grande risco de se rebelarem ou mesmo de se juntarem a forças antigovernamentais, tais como os nasalizes*, de tendências esquerdistas.

Os cristãos, principalmente os jovens, precisam aprender a enfrentar a perseguição de uma maneira bíblica. A maioria não tem uma educação cristã forte e aceitou o cristianismo apenas como parte de seu legado cultural.

* Nasalizes ou Nasalismo é um nome informal dado a grupos revolucionários comunistas radicais e por vezes violentos que surgiram da divisão chino-soviética no movimento comunista indiano. Pertencem ideologicamente a vários ramos do maoísmo. O epicentro do movimento era inicialmente em Bengali do Oeste. Há poucos anos, se espalharam pelas áreas rurais menos desenvolvidas do centro e do leste indiano, tais como Chhattisgarh e Andhra Pradesh através da atividade de grupos paramilitares e ilegais como o Partido Comunista da Índia (maoísta). O CPI (sigla em inglês) e algumas outras facções nasalizes são consideradas terroristas pelo governo da Índia e pelo governo de vários Estados indianos.