Estudantes realizam protestos contra charges de Maomé

| 29/02/2008 - 00:00


Cerca de três mil estudantes de Nuakchott protestaram ontem contra a publicação de charges do profeta Maomé pela imprensa dinamarquesa na capital da Mauritânia. Os participantes carregavam cartazes nos quais podiam ser lidos lemas como: "Protegeremos o profeta Maomé e estamos dispostos a nos sacrificar por ele". Além disso, cantavam "não há ninguém maior que Deus, e Maomé é seu profeta".

"Estamos contra os ocidentais que insultam o mundo muçulmano através das charges", disse à Agência Efe o jovem Mohamed Uld Abderrahmane, enquanto o líder estudantil Alpha Sow defendia a realização "da Jihad (guerra santa)".

Estas mesmas charges foram alvo da manifestação realizada também ontem nas ruas de Nema, a 1.200 quilômetros da capital, onde os manifestantes expressaram seu protesto contra estes desenhos.

Após a publicação das charges no final de 2005 pela imprensa dinamarquesa, teve início em 2006 uma onda de protestos no mundo muçulmano que levou à morte de uma centena de pessoas, principalmente cristãos, uma vez que o cristianismo é visto no universo islâmico como uma influência do ocidente.

No último dia 13 de fevereiro, 16 jornais dinamarqueses voltaram a publicá-las depois que foi descoberto um plano para assassinar um de seus desenhistas ( leia mais).


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE