Grupo de cristãos indianos padece em prisão de Bangladesh

Um grupo de cristãos da Índia padece numa prisão em Bangladesh mesmo depois de terminar o período de três meses de detenção. Sem conhecimento, eles cruzaram uma fronteira não demarcada entre os dois países enquanto pregavam o evangelho.

As autoridades de Bangladesh disseram que oficiais da Índia não responderam aos requerimentos necessários para a libertação do grupo.

Policiais e autoridades da prisão disseram que forças conjuntas lideradas pelo exército detiveram os 14 evangelistas cinco meses atrás quando eles, sem saber, entraram no território de Bangladesh próximo da área de Roma no distrito de Bandarban, aproximadamente 272 quilômetros a sudeste da capital.

Com idades entre 20 e 32 anos, os evangelistas – incluindo quatro mulheres e um homem de 52 anos – foram detidos num ponto onde as montanhas dificultam a identificação da fronteira na qual a província indiana de Mizoram e o distrito de Bandarban, em Bangladesh, se encontram.

Pena de três meses

Os cristãos foram sentenciados a três meses de prisão por uma corte do distrito de Bandarban acusados de cruzar a fronteira, disse o inspetor geral da prisão Brig. Gen. Zakir Hasan.

“O tempo de prisão terminou em 28 de fevereiro”, disse Hasan. “Nós solicitamos ao nosso ministro da casa civil em 9 de fevereiro a repatriação do grupo para a Índia”.

“Normalmente o ministro da casa civil de Bangladesh informa o ministro do Exterior, que trata com a embaixada ou comissariado sobre a repatriação dos estrangeiros detidos em prisões estrangeiras”, disse Hasan.

“Mas até agora, nós não temos nenhuma informação sobre a repatriação”, disse Hasan. “Se o alto comissariadonão tomar nenhuma iniciativa sobre a repatriação do grupo, eles ficarão na prisão indefinidamente”.

Bangladesh deseja enviar os evangelistas de volta para seu país, disse Hasan, mas está proibido de fazer isso sem uma ação do alto comissariado da Índia.

“Se nós os liberarmos sem a iniciativa do alto comissariado, eles serão pegos novamente em território de Bangladesh por não terem nenhum documento ou passaporte válidos”, disse Hasan. “Eles serão colocados na prisão por outro crime”.

Pregando nas montanhas

O sub-inspetor da região de Roma Babar Ali disse que patrulhas de fronteira de Bangladesh detiveram os 14 evangelistas em 27 de novembro do ano passado, levando-os para a polícia local no dia seguinte, e os cristãos foram levados à corte em 29 de novembro.

“Aqueles cristãos estavam na verdade pregando o cristianismo na região das montanhas”, disse Ali. “Eles não entenderam a linha de demarcação da fronteira entre a Índia e Bangladesh. Na verdade, não há nenhuma demarcação de fronteira ali”.

Ali disse que os cristãos não tinham nenhuma intenção ilegal ao entrar no país.

“Particularmente, eles entraram por engano enquanto pregavam sua religião em localidades tribais”, ele declarou. “Nós investigamos se eles estavam envolvidos em alguma atividade ilegal ou criminosa no território de Bangladesh, mas nossa investigação não indicou nada. Nós não encontramos nenhuma atividade criminosa”.

Os investigadores só encontraram literatura cristã com eles, acrescentou Ali.

Índia e Bangladesh compartilham uma fronteira de 4.095 quilômetros que na maior parte dos lugares não é marcada. Existem 111 enclaves (territórios soberanos dentro de outro país) indianos no território de Bangladesh cobrindo 70 mil km2 e existem 51 enclaves de Bangladesh em território indiano totalizando 28 mi km2.