Dezoito são expulsos e excomungados por reforma

Dezoito membros da Igreja Ortodoxa Etíope (EOC), acusados de atividades em favor de reformas, foram recentemente excomungados.

Os excomungados são acusados de serem membros de um grupo ilegal que atua dentro da EOC. Alega-se que os professores levaram esse movimento reformista até os estudantes da conceituada escola teológica ortodoxa que treina monges e padres na doutrina ortodoxa.

O Mahibere Kidusan, um grupo que tenta se colocar contra todas as reformas não-oficiais dentro da EOC, identificou os 18 membros – três professores e 15 estudantes da escola teológica. A missão do Mahibere Kidusan (que significa “associação dos santos”) é preservar as tradições e doutrinas ortodoxas.

Pouco antes das acusações serem oficialmente levantadas, um dos acusados foi visto com um livro publicado por um conhecido grupo reformista. Um membro do Mahibere Kidusan tentou pegar o livro do acusado, na esperança de usá-lo como prova. Sua tentativa não teve sucesso, mas ele relatou o ocorrido para outros membros do Mahibere.

O rumor de atividades reformistas até mesmo nesta prestigiada escola teológica se espalhou como fogo. O Mahibere Kidusan supostamente reconheceu uma oportunidade para expor este tipo de atividade e encorajou a administração da Igreja a tomar uma providência imediata.

Saída pelos fundos

No dia 1º de junho, depois do principal culto litúrgico de domingo, toda a congregação da foi intimada para uma reunião com os membros do Mahibere Kidusan. Para a surpresa de todos, 18 nomes foram chamados. Diante de todos os presentes na reunião, os 18 foram acusados de envolvimento com um grupo reformista não-oficial. Foi explicado que o Mahibere Kidusan encontrou um livro que ensinava doutrinas contrárias às tradições e rituais da EOC em posse de um dos acusados.

O Mahibere Kidusan os acusou de estimular os ortodoxos a freqüentar igrejas protestantes. Isto aparentemente causou escândalo entre a congregação. O grupo ficou dividido sobre como responder. Alguns pediram a morte como punição, enquanto outros sugeriram espancamento, expulsão e excomunhão.

Enquanto a congregação debatia sobre a melhor punição para os acusados, Deus providenciou um escape para eles com a ajuda do sacerdote-líder. Ele abriu a porta dos fundos e os acusados fugiram.

Finalmente, a assembléia concordou em suspender todos os acusados da escola teológica e os excomungar da congregação. Testemunhas disseram que também se decidiu que todos os outros funcionários, alunos e professores da escola seriam banidos dos cultos da igreja até que cada indivíduo provasse sua lealdade à EOC.

Quando a assembléia chegou a um consenso quanto à punição, eles descobriram que alguém da liderança tinha ajudado os acusados a fugir. Isso deu ao Mahibere Kidusan a oportunidade de fazer com que o assunto fosse resolvido pela diocese ortodoxa do distrito. Eles pediram para que se publicasse uma carta, fechando as portas de ministério na EOC para os 18 acusados.

Marginalização

Logo após a assembléia, todos os 18 acusados foram oficialmente expulsos da escola teológica e excomungados da Igreja em todo o distrito. Os três professores perderam seus empregos e tiveram de sair das acomodações da escola. A congregação da EOC foi alertada para não oferecer ajuda ou cooperação para qualquer um dos excomungados.

Os professores das escolas ortodoxas são muito considerados pelos anos de dedicação para adquirir tanto conhecimento quanto possível sobre a doutrina, música e tradições da EOC. Uma dispensa desonrosa impacta negativamente a influência e reputação na comunidade dominante da EOC.

O líder da diocese distrital da EOC não aceitou o pedido do Mahibere Kidusan para circular a carta contra os excomungados. Ele recebeu uma carta de apelo dos excomungados, que queriam retornar para suas posições na escola, mas ele dirigiu o caso para a diocese da região. Os excomungados estão esperando a resposta do seu pleito para continuar seu ministério dentro da EOC.

Neste momento, eles enfrentam sofrem insultos e agressões da comunidade ortodoxa local. Líderes mais antigos os avisaram para que limitassem seu contato com cristãos protestantes, para sua própria segurança.

Pedidos de oração

• Ore por sabedoria para os excomungados para passarem pelas provações durante esta situação incerta e intimidadora.

• Ore pela intervenção de Deus com relação ao apelo dos excomungados. Peça portas abertas para estes irmãos continuarem com sua visão e ministério dentro da EOC. Ore também pela provisão de Deus em todas as situações de suas vidas.

• Temos que este tipo de expulsão e perseguição possa forçar os participantes dos movimentos reformistas a recuar ou mesmo abandonar o ministério na EOC. Ore por coragem e ousadia.