Dois padres colombianos assassinados

| 19/11/2003 - 00:00


Dois padres católicos romanos foram mortos em incidentes aparentemente separados no dia 4 de novembro na Colômbia.

O Rev. Saulo Carreño, pároco da Igreja Cristo Rei na cidade de Saravena, no conturbado Estado de Arauca, no leste da Colômbia, foi baleado ao sair do hospital onde estivera ministrando a paroquianos doentes, informaram notícias e fontes da igreja.

De acordo com o jornal El Pais, de Cali, uma mulher identificada como Maritza Linares estava no mesmo veículo do padre Carreño quando os dois atiradores abriram fogo contra o carro. Linares também foi morta.

O jornal El Tiempo informou que uma empregada doméstica encontrou o Rev. Henry Humberto López morto a facadas em sua casa na cidade de Villavicencio, cerca de 100 quilômetros a sudoeste de Bogotá.

Com relação às duas mortes, o porta-voz da Igreja Católica Romana, Rev. Hector Fabio Henao disse ao El Tiempo: Espero que isso sejam atos com motivações diferentes, que não tenham um propósito comum, organizado e orquestrado.

Não foram encontrados suspeitos ou motivo para qualquer dos crimes, disseram as fontes do jornal e da igreja. Entretanto, o comandante de polícia, Luis Alcides Morales disse que as autoridades atribuem a morte de Carreño a terroristas.

Esse é um ato muito triste, disse Morales ao El Pais. Os terroristas estão atacando todos os que colaboram com o Estado em comunidades. São grupos fora da lei.

O comandante de polícia anunciou uma recompensa de 30 milhões de pesos colombianos (cerca de 10.700 dólares) por informação que leve à prisão dos assassinos do padre Carreño.

Hernado Rojas, secretário da Diocese de Arauca, disse que a morte de Carreño marcou o quarto assassinato de um padre nesse Estado desde 1985. A morte mais recente de um padre foi em 1999, disse ele.

Rojas disse que conhecia Carreño como um homem sério, formal, calado e estimava sua idade em 40 anos. Ele foi padre em Saravena durante seis anos. Segundo o que Rojas sabia, Carreño não tinha sido ameaçado ou atacado antes de ser assassinado.

Indagado se o padre fora feito um alvo, Rojas disse: Só Deus sabe.

Fontes noticiosas informaram que López, 44, servira oito meses como padre na paróquia El Remanso, em Villavicencio. Tal como Carreño, ele aparentemente não recebera ameaças de possíveis inimigos. Seu corpo foi encontrado amordaçado e amarrado a uma cadeira, com várias perfurações a faca no pescoço e na barriga.

Grupos cristãos evangélicos da Colômbia, observadores dos direitos humanos e relatórios do governo colocam Arauca entre as mais violentas regiões do país. Uma área distante que faz fronteira com a Venezuela, Arauca tem vivido com um governo historicamente fraco de autoridade, que permite que grupos guerrilheiros rebeldes como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o Exército de Libertação Nacional controlem os ricos recursos em petróleo da área e o cultivo de drogas.

Nos últimos anos, as forças paramilitares da ala direita também têm estado presentes em Arauca.

Villavicencio também tem sido marcada pela violência. A Missão Novas Tribos e os Tradutores Wycliffe da Bíblia saíram de suas bases que tinham lá em meados de 1990 depois que os guerrilheiros das FARC seqüestraram três missionários americanos. Steve Welch e Timothy Van Dyke, das Novas Tribos, foram capturados em janeiro de 1994 e morreram em uma luta armada entre seus captores e uma unidade do exército colombiano 18 meses depois. O missionário Ray Rising, da Wycliffe, pego pelos rebeldes em março de 1994, passou dois anos e meio no cativeiro antes de ser solto pelas FARC.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE