Missionária ouve: "Você não está autorizada a pregar"

"Você não está autorizada a pregar sobre Jesus Cristo e não pode se reunir para qualquer tipo de atividade de igreja”, disse um funcionário do governo local do Butão à missionária da Gospel for Ásia (GFA), Amil Romir.

Os oficiais butaneses interrogaram Amil e outros 30 cristãos depois que ela foi acusada de converter “violentamente” os moradores locais , que teriam ficado "fascinados" com a apresentação do filme “Jesus”.

Apesar dos testemunhos dos novos crentes que afirmaram ter feito a opção de seguir Jesus de forma independente, as autoridades se opuseram ao ministério de Amil. E ordenaram que o grupo de cristãos limpe o prédio da administração a cada 15 dias.

No dia 24 de junho, os oficiais interromperam um culto de adoração promovido por vários cristãos, entre eles, Amil, exigindo uma autorização e obrigaram os cristãos a comparecerem à delegacia. Fizemos até um pedido de oração por isso ( leia mais).

Ministério frutífero

As autoridades tinham notado que o ministério tremendo de Amil frutificava e quiseram impedir que mais pessoas optassem pela fé em Jesus.

No dia 30 de junho, Amil e os outros cristãos se reportaram ao escritório administrativo local. Cada cristão foi interrogado individualmente sobre como foi que se tornaram cristãos.

“Nós recebemos Jesus Cristo como nosso salvador e Deus pessoal por nossa própria decisão e convicção", disse corajosamente um dos crentes aos funcionários do governo. Foi então que outros cristãos repetiram o mesmo testemunho.

Amil também falou abertamente e honestamente sobre o ministério dela. E respondeu a todas as perguntas que lhe foram feitas.

Policial dá ordem: limpem o prédio a cada 15 dias

Como os oficiais não encontraram motivos legais para prender os cristãos, o líder local tentou forçá-los a assinar uma declaração dizendo que eles não falariam mais sobre Jesus a outras pessoas.
Quando eles se recusaram, um oficial disse a Amil que ela não deveria mais pregar o evangelho nem participar novamente de reuniões cristãs. Ele também disse que não deixaria os cristãos saírem, a menos que eles prometessem voltar ao escritório a cada 15 dias para limpar o edifício da administração e as áreas ao redor.
Oportunidade de demonstrar humildade

Embora não seja legal essa ordem que ele deu, Amil e os cristãos não tiveram escolha a não ser concordar. Com isso, eles esperam dar um exemplo ininterrupto de humildade e do amor de Cristo aos funcionários do governo.

Amil pede oração para que as autoridades do governo venham a conhecer Jesus Cristo. Ela também pede oração para que os cristãos locais continuem firmes na fé, apesar da oposição.