Polícia impede Hua Huiqi e irmão de se encontrarem com Bush

No domingo, enquanto o presidente norte-americano visitava a igreja protestante de Kuanjie, em Pequim, policais à paisana detiveram dois cristãos para impedi-los de ir até a igreja onde estava George W.Bush (relembre a visita).

A notícia foi divulgada pela agência de notícias Reuters, além da Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês). O pastor Hua Huiqi, de 46 anos, e o seu irmão, Hua Huilin, um eletricista de 52 anos, ficaram sob custódia enquanto iam de bicicleta, ao amanhecer, para a igreja protestante de Kuanjie, em Pequim, para onde iria Bush.

“A polícia veio à nossa casa no dia anterior à noite e me disse para não deixar o meu irmão se aventurar a sair no dia seguinte. O meu irmão foi batizado naquela igreja e estava determinado a ir. Por isso, fui com ele para tentar protegê-lo”, disse Hua Huilin à Reuters, por telefone.

“A polícia confiscou o celular e a Bíblia de Hua Huiqi e nos forçou a entrar num carro que rapidamente saiu”, contou o irmão.

Os dois foram levados para o pátio de uma empresa. Hua Huiqi conseguiu fugir e o paradeiro dele permanece desconhecido ( leia mais sobre o que ele já sofreu aqui). Hua Huilin foi solto pouco depois.

A liberdade religiosa está consagrada na Constituição chinesa, mas o governo espera que os cristãos adorem apenas nas igrejas “patriotas”, sob controle estatal, e com um clero examinado e indicado pelo Estado.

A China tem cerca de 40 milhões de cristãos praticantes e o número divide-se entre os que freqüentam igrejas controladas pelo Estado e os que optam por igrejas “não oficiais”, segundo as estimativas de especialistas à Reuters.