Batistas convocam corrente de oração pela paz na Geórgia

| 18/08/2008 - 00:00


A Organização Mundial de Ajuda Batista (BWAid, sigla em inglês), que apóia programas de socorro na área da Geórgia, conclama todos os cristãos a orarem pelo país que está sendo devastado pelo conflito com a Rússia.

Um bispo batista na área de confronto da Geórgia lamentou a “injustiça, agressão e a resolução do conflito as custas das vidas de civis”.

“Nós oramos para que a resolução do conflito se dê de forma pacífica, que os lados em oposição se reconciliem e que haja perdão e aceitação mutua. Nós estamos de luto pela morte de soldados, crianças, homens, mulheres e velhos de ambos os lados”, disse Malkhas Songulashvili, bispo diretor da Igreja evangélica Batista da Geórgia, em um e-mail para o Diário da Ética.

Paul Montacure, diretor da BWAid, disse: “Nós condenamos essa matança arbitrária, e estamos enlutados pelas mortes e pelo sofrimento das pessoas dessa região”.

“Batistas do mundo todo comprometem-se a ajudar em oração e doações à todos que precisam”, disse ele.
 
O secretário-geral da Aliança Mundial Batista, Neville Callam, e o lider da BWAid, John Sundquist, estiveram na Geórgia recentemente em uma visita pastoral. Eles expressaram preocupação com a situação e pediram por paz naquela região.

Tony Peck, secretário-geral da Federação Européia Batista (FEB), disse : “Nós estamos muito preocupados com toda a situação e incentivamos uma resolução pacifica para o conflito”. Ele chamou a todos os batistas e cristãos da Europa para orarem pela paz na região de Cáucaso.

A BWAid, ramificação de amparo e desenvolvimento da Aliança Mundial Batista, está respondendo a pedidos de ajuda daqueles que foram pegos no recente conflito entre a Rússia e a Geórgia.

Pressão internacional

O presidente russo, Dmitri Medvedev, prometeu no domingo que começará a retirar a partir de hoje suas forças da Geórgia, enquanto líderes ocidentais pressionam por um rápido encerramento do conflito e criticam Moscou por não honrar seus compromissos.

Em um telefonema a Dmitri Medvedev, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, advertiu ontem sobre "as graves conseqüências" se a Rússia não respeitar o acordo de cessar-fogo na Geórgia. 

Dmitri Medvedev sugeriu que suas forças poderão permanecer na província separatista da Ossétia do Sul. A Ossétia do Sul, que oficialmente faz parte da Geórgia, mas declarou independência em 1992, foi invadida em 7 de agosto por forças georgianas que pretendiam recuperar o controle da província.

No dia seguinte a Rússia enviou suas tropas a várias cidades georgianas, intensificando o conflito.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE