Pastor é libertado por falta de provas

| 14/09/2008 - 00:00


Em uma decisão do tribunal, foi deixada clara a falta de provas de que o pastor Berlin Guerrero, da Igreja Cristã Unida das Filipinas, teria assassinado um policial em 1991.

Ele foi libertado depois de 15 meses na cadeia, onde sofreu torturas. Veja o caso completo aqui.

O juiz adjunto Martin Villarama disse, em uma nota pública: “Não pudemos encontrar nenhuma causa provável para justificar o mandado de prisão ”.

O tribunal disse que Berlin ficaria sob a custódia do ex-presidente do Senado Jovito Salonga e de Emil Capulong, o advogado que o defendeu.

“Embora estejamos esperando pela decisão final, a sentença de hoje é uma prova de que as acusações feitas contra mim não têm fundamento”, disse o pastor.

Para Emil, esse julgamento é o primeiro passo na rejeição do caso. “Embora o processo não tenha acabado, estamos vendo uma luz em nossa luta pela justiça”, ele disse aos repórteres.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE