Projeto de lei visa coibir preconceito religioso

| 21/10/2008 - 00:00


Está a um passo de ser aprovado um projeto de lei que proíbe que suspeitos de atividades criminosas sejam identificados por sua religião.

A lei proposta proíbe que a mídia use, ao descrever suspeitos de atividades religiosas o, palavras como “muçulmano”, “cristão” e qualquer outra que denote afiliação religiosa, regional ou étnica.

O projeto de lei, que foi aprovado em sua terceira e última leitura na Câmara, está agora sendo avaliado pelo Senado.

Juan Edgardo Angara, autor do projeto, diz que o uso de “rótulos” pela mídia de massa acaba criando generalizações que afetam todos os membros da comunidade do acusado, pessoas que não têm envolvimento algum com o crime.

Ele lamenta que muitos meios de comunidade continuem usando, de forma insensível, termos como "criminoso muçulmano" e "terroristas muçulmanos" ao descrever pessoas acusadas e condenadas por atividades criminosas.

Segundo essa lei, meios de comunicação que agirem dessa forma serão multados em, no mínimo, 50 mil pesos filipinos (1.040 dólares norte-americanos) para cada incidente.

"Proibir essa prática preconceituosa poderá, definitivamente, contribuir e resultar no aumento do espaço e da compreensão social positivos entre muçulmanos e não-muçulmanos", Angara comentou.

O projeto teve o apoio do Comitê da Câmara para Assuntos Islâmicos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE