Novo julgamento de pastor batista acontecerá amanhã

O julgamento do pastor batista Hamid Shabanov, 52, terá continuidade amanhã, 31 de outubro, apesar de sérias violações de procedimento por parte do tribunal.

Hamid está sendo acusado de porte ilegal de armas. Pessoas próximas ao pastor dizem que as provas de que Hamid tinha uma arma de fogo foram falsificadas (saiba mais).

A família e o advogado de Hamid queixam-se de que o período de prisão preventiva imposto pelo tribunal expirou no dia 21 de outubro, o que torna ilegal o atual encerramento de Hamid.

Polícia negligente

A audiência do caso havia sido agendada para terça-feira passada, 28 de outubro. O advogado do pastor, Mirman Aliev, viajou 450 quilômetros, da capital do país até Zakatala, para participar. Entretanto, a audiência não aconteceu, pois a polícia da prisão em que Hamid está não o levou ao tribunal.

Mirman comentou: "É da polícia municipal a responsabilidade de trazer Hamid a qualquer hora para qualquer audiência. Eles estão atrasando a audiência de propósito, pois não querem que Hamid vá ao tribunal. Querem detê-lo enquanto for possível”.

O advogado apelou diante do juiz para que Hamid fosse colocado sob prisão domiciliar enquanto seu caso era investigado, mas o apelo foi indeferido.

Badri Shabanov, irmão de Hamid, contou que a família do pastor tem sofrido muito. Eles não têm contato com Hamid há mais de três meses, e sua esposa não pode visitá-lo na prisão.

Badri também comentou que, desde quando o pastor for preso em junho, a polícia não interferiu mais nos cultos da igreja. O interesse deles é outro: “Eles estão interessados nos líderes. Querem prendê-los e ver a comunidade desintegrar-se”.