Membros de igreja indiana podem estar envolvidos em morte de pastor

Os líderes sociais e religiosos em Bihar supeitam que o assassinato de um jornalista e líder batista está ligado com disputas por propriedade dentro da própria igreja.

Em dois de fevereiro, pessoas não identificadas em uma motocicleta dispararam dois tiros contra Rajendra Kamal, do Christian Minority Development Front (fronte de desenvolvimento da minoria cristã), enquanto ele caminhava com um amigo em uma rua movimentada em Patna, capital de Bihar.

O líder cristão, em seus quase 70 anos, caiu no chão, sangrando muito com ferimentos na coxa, afirmou Sujit Prajapati, um policial que estava próximo ao local. Prajapati disse que os assaltantes usaram um revólver com um silenciador: “Desse modo, os tiros soaram como estouros de balão. Senão, eles não teriam escapado tão facilmente”.

A polícia levou Kamal para o hospital Patna Medical College, onde está agora em recuperação.

Rahmat Ansari, um acadêmico muçulmano demonstrou-se chocado com o assassinato de Kamal, “um escritor e jornalista renomado na língua hindu”.

O padre jesuíta e historiador Jose Kalapura também se surpreendeu com o “ataque cruel”. Ele relembrou que Kamal ganhou um prêmio da imprensa católica indiana há alguns anos.

O jornalista hindu Ravij Ranjan Jha, que trabalhou junto com Kamal por 15 anos em um jornal, disse que o cristão escreveu contra os proprietários de terra que exploram os trabalhadores sem terra, “mas ninguém nunca atacou Kamal fisicamente”.

Algumas pessoas dizem que o ataque aconteceu devido a brigas internas na igreja.

Jha disse que Kamal se opôs à “tomada massiva” da propriedade da igreja Batista pelos pastores e leigos, mas o padre Kalapura suspeita que o ataque foi conseqüência das “competições legais” que Kamal tinha com os outros batistas.

Segundo John Abraham, um pastor pentecostal muito próximo dos batistas em Bihar, Kamal prestou queixa contra outros sete batistas por conspirarem para “matá-lo”, mas ninguém foi preso até agora.