Cristãos querem participação na reconstrução do Iraque

Um grupo de cristãos reunidos no Líbano declarou que pessoas de sua fé estão no Iraque desde o nascimento da nação, e não são apenas uma minoria, e sim parte essencial da sociedade e história da civilização.

“Como filhos autênticos desta terra, eles têm o direito de viver livremente e desfrutar dos mesmos direitos e responsabilidades que outros cidadãos”, disse um dos líderes após uma reunião no Líbano.

“A solução para as condições atuais está em não afastar os cidadãos do Iraque”, disse um dos participantes da reunião organizada pelo conselho mundial de igrejas. A reunião apresentou alguns desafios enfrentados pelos cristãos no país, principalmente em questões de segurança e migração forçada.

“Os cristãos estão no Iraque desde o nascimento da nação, e não são apenas uma minoria, mas sim parte essencial da sociedade e história da civilização”, afirmaram.

Alguns dos participantes da reunião já foram sequestrados no Iraque, mas apoiam os cristãos iraquianos a “permanecerem em sua terra natal, participando ativamente de sua reconstrução e desenvolvimento”. Os cristãos têm um papel importante em “construir instituições educativas e sociais, que contribuam para a reconciliação nacional, paz e estabilidade”.

No encontro, também foi pedido para que as igrejas não encorajem programas de migração e reassentamento para refugiados fora do país, mas “que direcionem seus esforços em levar a segurança e estabilidade para todos os iraquianos, mas dentro do Iraque”.

O objetivo é “Permitir que os iraquianos trabalhem juntos, sarando as feridas e construindo um futuro melhor para si”.

Os participantes ressaltaram a importância do diálogo constante entre cristãos e muçulmanos. Eles pediram que se estabelecesse um fórum ecumênico para permitir que “todos os líderes de igrejafalem em uma só voz para as autoridades religiosas e políticas dentro e fora do Iraque”.