Estudantes de enfermagem acusadas de blasfêmia

| 23/02/2009 - 00:00


Duas cristãs estudantes de enfermagem na cidade de Lahore, Paquistão, foram acusadas de profanar versos do Alcorão, o livro sagrado muçulmano, dias depois de suas colegas destruírem um quadro de Jesus Cristo pendurado no quarto.

A tradição islâmica proíbe claramente imagens de Alá, Muhammad e de todas as figuras ligadas ao cristianismo e judaísmo.
 
As estudantes muçulmanas rasgaram a pintura e jogaram fora depois que as cristãs se recusaram a tirá-la voluntariamente.

A administração da escola de enfermagem não tomou nenhuma atitude em relação ás alunas muçulmanas, que cometeram um ato de “profanação”.

A tensão entre as estudantes se agravou quando as muçulmanas, ainda rancorosas com suas colegas de quarto, acusaram as meninas de profanar os versos do Alcorão.

Sohail Johnson, presidente do ministério Sharing Life Pakistan, expressou sua preocupação sobre os recentes abusos de lei sobre pessoas instruídas.

“Qualquer um pode entender porque pessoas ignorantes ou analfabetas podem ser exploradas pela lei, mas quando se trata de pessoas com alto grau de instrução, é um motivo para nos preocuparmos, e isso faz com que não-muçulmanos fiquem mais vulneráveis ao abuso da lei”, diz.

“Ao envolver enfermeiras cristãs em casos de blasfêmia, como tem acontecido ultimamente, aparenta-se que alguns elementos querem desencorajar as mulheres cristãs de entrar na área médica”, afirma. Ele também demonstra a preocupação em criar uma estratégia para lidar com acusações de blasfêmia.

“A Igreja Perseguida precisa de muita oração. Ore pelos cristãos paquistaneses, por causa da opressão e perseguição que sofrem.”


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE