Líderes presos em Henam são soltos

Mais de 60 líderes de igrejas não-registradas na China e dois pastores sul-coreanos foram presos pela polícia em Henan em 11 de fevereiro de 2009.

Os líderes saíram de suas províncias para irem a um seminário. Todos eles são cristãos evangélicos de grupos diferentes, e os dois pastores sul-coreanos eram palestrantes.

Mais de 30 policiais do escritório de segurança pública invadiram o local de reunião, prenderam todos os cristãos e os levaram para o hotel Nanyang Jingda.

A polícia tomou todos os objetos pessoais dos cristãos, inclusive dinheiro, celular, bolsas, livros e outros, mas os líderes não receberam o recibo dos itens confiscados. Todos tiveram que se registrar, e, só então, alguns anciãos foram liberados.

As autoridades de Nanyang intimaram os policiais de cada província natal dos presos, e eles escoltaram os cristãos de volta para suas cidades, para serem julgados lá. Os dois pastores sul-coreanos foram expulsos da China por “se envolverem em atividades religiosas ilegais”, e estão proibidos de entrarem no país pelos próximos cinco anos.

Em 16 de fevereiro, mais dois líderes foram soltos, mas quatro continuavam presos.

No entanto, devido à grande pressão da mídia mundial, os últimos quatro líderes que ainda estavam presos em Henan foram soltos em 24 de fevereiro.