Mesmo com toque de recolher, ataques a cristãos continuam

| 26/02/2009 - 00:00


Os ataques à comunidade cristã em Bauchi, Nigéria, continuam apesar do toque de recolher. Pelo menos 11 pessoas foram mortas e mais de 1.500 ficaram desabrigadas, enquanto 14 igrejas, 8 paróquias, um mosteiro e inúmeras casas de cristãos foram demolidos durante um fim de semana violento em sete bairros muçulmanos de Bauchi.

A violência irrompeu após um incêndio em um mosteiro na manhã de sábado, 21 de fevereiro. Embora tenha sido atribuído a cristãos, acredita-se que foi causado por militantes procurando um pretexto para violência, como retaliação aos acontecimentos de novembro de 2008 em Jos, quando muçulmanos foram mortos ao desafiarem o toque de recolher estabelecido pelo governo.

Fontes locais informaram que em 13 de fevereiro, uma igreja no subúrbio de Bauchi pediu que um mosteiro recém-construído parasse de usar o terreno da igreja como estacionamento. Isso enfureceu os muçulmanos, que ameaçaram “vingar o que aconteceu em Jos”. Semanas antes, duas igrejas haviam sido demolidas e incendiadas.

Devido ao aumento da violência, o reverendo Turde pediu a imposição de um toque de recolher urgente na cidade. No entanto, o governador Isa Yuguda o determinou para apenas sete bairros, permitindo que os saques e incêndios continuassem no resto da cidade. Relatórios indicam que os agressores continuaram indo de igreja em igreja, de casa em casa, incendiando e atacando seus ocupantes durante todo o fim de semana. Apesar do toque de recolher, fontes afirmam que os seguranças não estavam em número suficiente. Pelo menos uma pessoa foi morta em 23 de fevereiro, e há rumores de que existam “homens armados se escondendo na floresta”, o que faz com que a comunidade cristã tema mais ataques.

Muitos cristãos estão indo para Jos, onde a maioria é cristã, por segurança. Outros desabrigados estão indo para acampamentos militares e quartéis da polícia em Bauchi.

O chefe executivo da Christian Solidarity Worldwide Nigéria, reverendo Yunusa Nmadu, disse: “Os cristãos de algumas regiões da Nigéria ficam mais inseguros à medida que os oficiais eleitos se preocupam mais em servir o interesse de um grupo religioso em detrimento ao outro, do que em assegurar que todos os cidadãos nigerianos desfrutem da liberdade religiosa garantida pela constituição. Os constantes assassinatos em Bauchi e o silêncio das autoridades diante deles auxiliam pouco na dissipação dessa ansiedade. É fundamental que o governo tome atitudes imediatas para garantir a segurança da comunidade cristã, levando uma quantidade maior de tropas até a área para acabar com a violência, e auxiliando aqueles que perderam tudo”.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco