Tribunal quer impor o islamismo a adolescentes

| 26/06/2009 - 00:00


A agência International Christian Concern (ICC) soube que, em 15 de junho, um tribunal egípcio entregou uma sentença para uma mãe que luta pela custódia de seus dois filhos gêmeos. Enquanto o tribunal garantiu a custódia de seus filhos, também pediu para que eles fossem considerados muçulmanos, apesar dos adolescentes terem expressado seu próprio desejo de permanecer como cristãos (Saiba mais).

A batalha legal pela custódia e identidade religiosa de Mario e Andrew aconteceu após o divórcio de seus pais em 2000.  O pai deles abandonou a mãe por uma mulher muçulmana, e se converteu ao islã porque era mais fácil de conseguir o divórcio. Ele pediu a custódia dos meninos em 2007, e alterou a afiliação religiosa em suas certidões de nascimento de “cristianismo” para “islamismo” sem o consentimento de seus filhos.

Andrew e Mario acabaram de completar 15 anos, e agora enfrentam a batalha legal para conseguir um documento de identidade dizendo que são cristãos. Sua mãe, Camilia, disse ao ICC que oficiais do Ministério de Assuntos Internos prometeram indicar a religião dos gêmeos no documento, mas não há nenhuma garantia de isso vá acontecer.

De acordo com as leis egípcias, a religião dos cidadãos deve ser indicada em seus documentos, para que ter acesso a serviços do governo e outros, como educação, empregos e transações bancárias. Por exemplo: se no documento estiver escrito “islamismo”, pode impedir uma pessoa de receber educação cristã.

Quando o ICC perguntou a Camilia se ela iria ao tribunal para pedir documentos de identidade para seus filhos, ela disse que o governo não atenderia seu pedido.

Andrew e Mario disseram: “Amamos Jesus e acreditamos nele. Nascemos cristãos e acreditamos no cristianismo. Não vamos mudar nossa fé.”


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE