Cristãos protestam e pedem justiça

Um protesto foi organizado em frente ao Clube da Imprensa de Lahore nesta quarta-feira, dia 6 de julho contra o ataque aos moradores de Bhamniwala, onde 100 casas de cristãos foram incendiadas.

A violência começou quando 500 muçulmanos atacaram as casas de cristãos, depois que Qari Latif, um clérigo muçulmano, anunciou da mesquita que um cristão tenha “blasfemado” contra o profeta Maomé.

As alegações de “blasfêmia” foram apontadas contra os cristãos do vilarejo, próximo à fronteira entre Paquistão e Índia, sucedendo uma disputa entre um homem cristão e alguns muçulmanos da região.

Representantes de organizações de direitos humanos, membros da sociedade e clérigos cristãos participaram do protesto contra a administração de Kasur, onde está localizado o vilarejo de Bhamniwala.

Um grupo de cristãos, liderado por Sohail Johnson, coordenador do ministério Sharing Life Pakistan (SLMP) e outros ativistas de direitos humanos levantaram faixas e cartazes contra o governo local em Kasur, pedindo que a justiça seja feita para os cristãos perseguidos em Bhamniwala.

De acordo com o SLMP, um grande número de cristãos do vilarejo queria participar do movimento, mas a polícia os impediu de chegar até Lahore.

O pastor Anwer Fazal também participou do protesto. Ele orou por proteção, restauração e paz para os cristãos no vilarejo de Bhamniwala.