Após onda de violência, muitos cristãos continuam desaparecidos

| 09/08/2009 - 00:00


O presidente da Nigéria, Umaru Yar"Adua, pediu ontem uma investigação sobre a violência desatada na semana passada, no norte do país, pela seita islâmica fundamentalista Boko Haram. Segundo dados oficiais, 780 pessoas morreram, entre elas o responsável pelo grupo.

Muhammed Yusuf, de 39 anos, líder do Boko Haram, foi detido por tropas do Exército na quinta-feira passada e entregue à Polícia. Ele faleceu depois da detenção, em circunstâncias desconhecidas.

O ataque do grupo teve início em 28 de julho passado no Estado de Bauchi, mas se estendeu rapidamente a outros cinco estados do norte da Nigéria. De acordo com a Associação Cristã da Nigéria (CAN), um sacerdote católico e três pastores protestantes foram assassinados no Estado de Borno, e 20 igrejas e templos foram incendiados.

O presidente do CAN para o norte da Nigéria, Reverendo Yuguda Zubagai Ndurvuwa, afirmou que pelo menos 150 cristãos foram sequestrados por membros do Boko Haram, e o paradeiro deles permanece desconhecido.

"Em cada crise religiosa no norte, os cristãos são sempre as vítimas" – afirmou o Rev. Ndurvura.

Mais de 10.000 pessoas morreram na Nigéria em confrontos entre grupos muçulmanos e cristãos e policiais desde 1999, quando foi implantada a sharia (lei islâmica) em 12 Estados do norte do país.

Ore pelos cristãos nigerianos, para que estejam em segurança e recebam a força que vem de Deus para suportar todas as situações difíceis.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE