Coreia do Sul restringirá viagens missionárias

O governo sul-coreano disse que considera restringir a viagem de missionários cristãos para o Oriente Médio se o trabalho colocá-los em risco de ataques terroristas.

Oficiais do Ministério do Exterior disseram que o governo pode impor restrições porque o trabalho missionário em alguns países do Oriente Médio ameaça a segurança não só dos missionários, mas também dos sul-coreanos.

“O trabalho deles vai contra o sentimento local e faz com que eles sejam alvos da al-Qaeda e do Talebã. Também existe a possibilidade de que cidadãos comuns sejam ameaçados.”

Oficiais de justiça, assuntos externos, inteligência e outros departamentos se reuniram no início deste mês para discutir a questão e propor medidas.

Depois dos Estados Unidos, a Coreia do Sul é o segundo maior “exportador” de missionários, depois dos Estados Unidos. A associação Korea World Missions afirma que mais de 19.000 sul-coreanos estão atuando como missionários em todo o mundo, muitos deles em regiões hostis.

Os oficiais contam que, nos últimos dois meses, mas de 80 cristãos foram expulsos do Irã, Jordânia, Iemên e outros países do Oriente Médio.