Hospital proíbe enfermeira cristã de usar colar com crucifixo

Uma enfermeira cristã de Exeter, no oeste da Inglaterra, com mais de 30 anos de serviço, e faltando oito meses para conseguir sua aposentadoria, está sendo ameaçada com ação disciplinar depois que ela se recusou a retirar um colar com pingente de cruz – um símbolo de sua fé cristã.

“Os diretores do Serviço Nacional de Saúde (NHS em inglês) insistem que o crucifixo deve ser tirado de vista”, disse um porta-voz do Centro Legal Cristão (CLC em inglês).

Shirley Chaplin, 54, sempre trabalhou no NHS. Ela usa o colar com o crucifixo desde quando estudava para ser enfermeira. No entanto, agora os diretores pedem que ela retire o colar, pois o consideram uma violação na política do uso de uniformes e um risco para ela e seus pacientes.

“A senhora Shirley informou o hospital de que ela nunca sofreu um acidente que tenha prejudicado algum de seus pacientes, ou mesmo ela, em 30 anos de enfermagem, e que assinaria, sem nenhum problema, um documento retirando a responsabilidade do hospital em qualquer acidente causado pelo pequeno objeto de prata. O hospital se recusou a providenciar um relatório de riscos, embora não haja nenhum registro de incidentes ou ferimentos em enfermeiras ou pacientes causados por um colar/ crucifixo. Mesmo assim, o NHS insiste em que o pingente não fique visível.”

Shirley afirma que a ordem de remover o crucifixo não tem nada a ver com saúde e segurança, mas é uma infração de seus direitos, principalmente o de expressar sua fé, que tem sido sua base e força em 30 anos de serviço de enfermagem.