Cristãos expulsos ainda passam necessidades

Recentemente, colaboradores da Portas Abertas visitaram os cristãos da comunidade de Tenango Tepeshi,que foram expulsos em fevereiro de 2008 por não participar de festas pagãs de sua comunidade (saiba mais).

Hoje, mais de um ano depois da expulsão, eles moram em terreno em Ahuetepec, na municipalidade de Tlapa de Comonfort.

Três famílias cristãs foram saqueadas pelos próprios vizinhos, tentando obrigá-las a fugir da comunidade. Depois, as três famílias foram colocadas em um furgão e deixadas perto do rio "El Jale", próximo à capital de Tapla de Comonfort. Considerando que o rio estava seco por falta de chuva, as famílias conseguiram atravessá-lo e chegar à capital.

Na capital, eles buscaram abrigo no palácio do governo de Tlapa de Comonfort. Pouco depois, já familiarizados com a cidade, as famílias procuraram refúgio em uma igreja chamada Igreja do Deus da Profecia do Santuário de Cristo. Um generoso membro da igreja doou, do pouco que tinha, o terreno onde as famílias vivem atualmente.

Infelizmente, as condições de vida deles não são boas. Suas casas foram feitas a partir de entulho e não têm quase nada. Eles adotaram um estilo de vida extremamente pobre desde que foram expulsos de sua comunidade.

A única ajuda que receberam foram filtros para armazenar água. Embora precisem de apoio para retomar sua vida, eles agradecem o que receberam e são zelosos pela Palavra de Deus.

Em uma ocasião, colaboradores da Portas Abertas no México deram Bíblias e materiais de estudo para essas famílias. Eles, entretanto, respeitosamente devolveram os itens no dia seguinte. Eles disseram que sentiam muitos, mas a Bíblia que usam é e diferente da que receberam.

Aparentemente, eles usam uma tradução de 1909, e rejeitaram a nova versão porque viram diferença em alguns termos.

Essa experiência mostrou que essas pessoas levam a Palavra de Deus a sério. Também ilustrou a carência que existe de treinamento e ensino bíblico.