Membros da Igreja Missionária Wanbang são proibidos de se reunir

| 09/11/2009 - 00:00


No dia 2 de novembro, mais de 30 oficiais do Escritório de Segurança Pública do município de Shangai, a Administração Estadual de Assuntos Religiosas (SARA, em inglês) e duas outras agências do governo invadiram a Igreja Missionária Wanbang de Shanghai. Eles separaram Cui Quan, pastor presidente da igreja, e, um por um, os líderes das diferentes agências o interrogaram. Eles acusaram a igreja de realizar encontros ilegais e pediram que os membros não se reúnam mais. Enquanto isso, as delegacias do Escritório de Segurança Pública do município de Shangai interrogaram outras igrejas afiliadas com a Igreja Missionária Wanbang. Os policiais concluíram que a igreja se reunia ilegalmente e ameaçaram os líderes da igreja, fechando o templo e proibindo que eles se encontrem no futuro.

A Igreja Missionária Wanbang começou a ser analisada pelas autoridades locais no início deste ano, quando os oficiais da SARA tentaram desfazer um seminário sediado pela igreja em fevereiro. Sob ameaças de cancelamento, a Igreja Wanbang mudou o local do evento e depois descobriu que o proprietário estava sendo pressionado a encerrar o contrato com eles.

A Igreja Missionária de Wanbang possui uma congregação com 1.200 membros e é uma das igrejas urbanas não registradas mais influentes na China. A perseguição à igreja é um sinal de que a pressão do governo está aumentando.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE