Proibição de minaretes causa várias reações na Suiça

| 04/12/2009 - 00:00


Aliança Evangélica Suíça está desapontada com o resultado dos votos

O voto do povo suíço a favor da proibição de minaretes tem causado reações controversas entre a comunidade cristã do país.

O referendo do dia 29 de novembro, que tem a proposta de banir a construção de novos minaretes recebeu 57,5% dos votos. A petição teve apoio do Partido do Povo (SVP), que é conservador e da União Confederada (EDU), que tem grande seguimento evangélico.

A Aliança Suiça Evangélica e a Federação Suiça da Igreja Protestante, entretanto, se opuseram à proibição. Existem quatro mesquitas com minaretes na Suiça. O país possui 7.7 milhões de habitantes e 400 mil muçulmanos.

A maioria dos votos para a proibição causou surpresa. Os partidos políticos assim como as igrejas, o comércio e a indústria eram contra a proibição.

A EDU recebeu bem o fato de os cidadãos suíços não se permitirem ser intimidados. Andreas Broennimann, membro do Parlamento para a EDU comentou: “O povo suíço deu um importante sinal contra a reivindicação do poder do Islã”. A EDU enfatizou que a liberdade religiosa dos muçulmanos não será prejudicada.

A Aliança Suíça Evangélica está desapontada com a decisão majoritária. A proibição dos minaretes não ajuda a encontrar soluções construtivas para os problemas nas relações com a minoria muçulmana, comentou o Secretário Geral da Aliança, Hansjoerg Leutwyler. A credibilidade suíça em questões de direitos humanos não foi fortalecida, disse ele.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE