Fábrica pertencente a cristão é destruída

| 07/12/2009 - 00:00


Na segunda-feira, dia 23 de novembro, Shao Wangui, líder de uma igreja não registrada em Wenzhou, foi preso sem mandado. Ele foi solto no dia 30 do mesmo mês, marcando um alívio na perseguição, depois que a fábrica de Shao foi destruída porque o proprietário se recusou a contribuir com um projeto de construção budista.

Shao Wangui e seu irmão trabalharam na empresa Xinba Shoes, em Xianyan, durante muitos anos. O conflito com as autoridades locais aconteceu quando os dois irmãos cristãos se recusaram a pagar uma taxa que apoiaria a construção de um templo budista em seu vilarejo.

Em novembro, os aldeões foram até a fábrica de sapatos e insistiram que eles apoiassem a construção budista. Por causa de sua religião, Shao Wangui se recusou a doar o dinheiro, pois sentiu que isso iria contra sua fé e seu chamado de liderar a igreja local. Então, ele pediu para que os membros de sua congregação não permitissem a construção do templo budista próximo à igreja. O secretário do vilarejo ficou furioso quando soube que a igreja havia se recusado a participar da campanha, e iniciou a perseguição a líderes cristãos conhecidos na comunidade.

Vândalos destruíram a fábrica de sapatos Xinba como “punição” para os irmãos e a igreja, por se recusarem a participar da campanha pela construção – uma ação brutal e comum contra aqueles que contrariarem as normas impostas pelo governo. Milhares de dólares em equipamentos e bens foram perdidos na demolição da fábrica.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE