Jovem cristã morre após prisão e falta de cuidados médicos

| 04/05/2010 - 00:00


Uma jovem cristã eritreia, presa desde 2008 por causa de sua fé em Cristo faleceu há 10 dias devido à malária e anemia profunda, no centro de detenção Sawa.

A Portas Abertas confirmou a morte de Senait Oqbazgi Habta, 28 anos, na noite da última sexta-feira, no Centro de Treinamento Militar perto da fronteira eritreia com o Sudão.

Ela é 13ª cristã a morrer por sofrer maus tratos e longo período na prisão desde que o regime repressivo do presidente da Eritreia Isaias Afewerki proibiu todas as atividades e cultos religiosos que não sejam das igrejas aprovadas pelo governo: ortodoxa, católica, evangélica luterana e da religião muçulmana.

Senait foi presa em 2008 por frequentar um grupo de estudo bíblico na universidade em Mai-Nefhi. Juntamente com outros 15 estudantes, ela foi levada para o Centro de Treinamento Militar Sawa e submetida a punições pesadas.

Enfrentando circunstâncias terríveis, ela e seus colegas foram aprisionados em contêineres de metal, onde suportaram o calor durante o dia, e o frio extremo durante a noite. Eles não saíram ao ar livre, ou para receber cuidados médicos ou de higiene.
 
De acordo com fontes locais, os oficiais do Centro ofereceram a liberdade e cuidados médicos para Senait, contanto que ela negasse a Cristo, mas ela se recusou.

Quando os oficiais finalmente permitiram que Senait fosse para o Centro Médico Sawa no mês passado, mas era tarde demais. Devido à doença e fraqueza, ela faleceu logo após a transferência.

Senait era “uma filha preciosa de Deus”, afirmam os cristãos que a conheciam. Ela era solteira, e nada se sabe sobre sua família.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2023 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco