Cristãos iraquianos temem nova onda de violência

| 09/06/2010 - 00:00


Um empresário cristão foi assassinado em Kirkuk no dia 7 de junho. Hani Salim Wadi era dono de uma loja de celulares no subúrbio da cidade. Ele tinha 34 anos de idade, era casado e tinha uma filha. As testemunhas disseram que ele foi baleado propositadamente.

Por causa de sua morte, hoje, a comunidade cristã teme uma nova onda de violência na cidade. Um habitante local disse: "os cristãos tornaram-se mais uma vez o alvo dos ataques, agora temos que viver mais uma vez em uma atmosfera de insegurança".

Uma das testemunhas afirmou ter visto Hani Sali Wadi ser assassinado em frente a sua casa. Até o momento, não se sabe exatamente o motivo de sua morte, mas o medo entre os cristãos é visível.

O nordeste do Iraque, especialmente em Mosul e em Kirkuk, tem sido cenário de diversos ataques contra a comunidade cristã já faz algum tempo. Essa área está localizada no meio de um poderoso conflito entre árabes, curdos e turcomanos.

Os cristãos acreditam estar sendo perseguidos em meio a um ambiente político de total indiferença. Muitos dizem ter certeza de que os agressores "não são criminosos comuns" e que por detrás dos ataques existem "planos políticos muito bem elaborados", com a intenção de colocar os cristãos das planícies de Nínive em uma posição difícil.
Segundo o ponto de vista dos cristãos, o governo central e o provincial "não estão fazendo nada para impedir os ataques".

Peça a Deus que dê força aos nossos irmãos para que resistam às lutas e também que as autoridades governamentais sejam transformadas e se despertem para ajudar os cristãos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE