Cristãos iraquianos temem nova onda de violência

| 09/06/2010 - 00:00


Um empresário cristão foi assassinado em Kirkuk no dia 7 de junho. Hani Salim Wadi era dono de uma loja de celulares no subúrbio da cidade. Ele tinha 34 anos de idade, era casado e tinha uma filha. As testemunhas disseram que ele foi baleado propositadamente.

Por causa de sua morte, hoje, a comunidade cristã teme uma nova onda de violência na cidade. Um habitante local disse: "os cristãos tornaram-se mais uma vez o alvo dos ataques, agora temos que viver mais uma vez em uma atmosfera de insegurança".

Uma das testemunhas afirmou ter visto Hani Sali Wadi ser assassinado em frente a sua casa. Até o momento, não se sabe exatamente o motivo de sua morte, mas o medo entre os cristãos é visível.

O nordeste do Iraque, especialmente em Mosul e em Kirkuk, tem sido cenário de diversos ataques contra a comunidade cristã já faz algum tempo. Essa área está localizada no meio de um poderoso conflito entre árabes, curdos e turcomanos.

Os cristãos acreditam estar sendo perseguidos em meio a um ambiente político de total indiferença. Muitos dizem ter certeza de que os agressores "não são criminosos comuns" e que por detrás dos ataques existem "planos políticos muito bem elaborados", com a intenção de colocar os cristãos das planícies de Nínive em uma posição difícil.
Segundo o ponto de vista dos cristãos, o governo central e o provincial "não estão fazendo nada para impedir os ataques".

Peça a Deus que dê força aos nossos irmãos para que resistam às lutas e também que as autoridades governamentais sejam transformadas e se despertem para ajudar os cristãos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE