Líderes cristãos pedem respeito pela minoria

Um apelo em oito pontos foi lançado nos últimos dias para reivindicar proteção para as minorias e o respeito dos direitos destas. A iniciativa foi apresentada no último dia 26 de junho por 76 líderes cristãos iraquianos reunidos em Qaraqosh, próximo a Mosul.

No apelo os chefes cristãos pedem, entre outras coisas, “emendas constitucionais para apoiar o direito da minoria cristã, o financiamento de programas que facilitem o retorno de refugiados e a instituição de uma Comissão Nacional para as Minorias promova o diálogo pacífico entre grupos étnicos e religiosos”.

Conscientes que a coexistência e o diálogo passam também através da instrução e da segurança, os líderes que assinaram o apelo solicitaram também “a criação de uma universidade na província de Nínive, o reforço da segurança para as comunidades mais vulneráveis, maiores investimentos em infraestrutura nas áreas do interior e de maior presença das minorias”.

Louis Sako ressaltou que “os cristãos não tem que deixar o Iraque, mas testemunhar a própria fé em seu país”. Estima-se que depois da queda do regime de Saddam Hussein, em 2003, cerca de metade dos cristãos iraquianos, ou seja, um milhão de fiéis tenha sido obrigado a deixar o país.