Intolerância contra cristãos gera discussão na UE

| 02/03/2011 - 00:00


Na semana passada, após intensas discussões, o Conselho de Assuntos Exteriores da União Europeia (UE) adotou uma resolução na qual manifesta “firme condenação” à violência praticada contra cristãos e membros de outras comunidades religiosas no Oriente Médio e Ásia.

O esboço do texto foi aprovado depois da reunião realizada pelos ministros de Relações Exteriores dos Estados-membros da UE, que ocorreu em Bruxelas, Bélgica, na segunda-feira, dia 21.

“O Conselho reafirma o forte compromisso da União Europeia na promoção e proteção da liberdade de religião ou de crença, sem qualquer discriminação”, diz o texto.

Havia uma forte pressão para que os ministros mencionassem o termo "cristãos", porque é esta comunidade que tem sido alvo de intensos ataques em países predominantemente muçulmanos nos últimos dias. No entanto, o texto foi ameno. 

Poucas palavras

No documento, os ministros dos 27 manifestam “profunda preocupação pelo crescente número de atos de intolerância e discriminação religiosa”, destacando a ocorrência de “atos de terrorismo em vários países” contra cristãos e seus locais de culto, peregrinos muçulmanos e outras comunidades.

Os responsáveis pela diplomacia da UE manifestaram as suas condolências e “solidariedade” às vítimas, afirmando que “a liberdade religiosa é um direito humano universal que tem de ser protegido em toda a parte e para todas as pessoas”.

Esta declaração amena surgiu depois de uma tentativa mal sucedida de consenso, no dia 31 de janeiro de 2011.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE