No Dia da Oração pela Igreja Chinesa, segurança é reforçada

Entre dificuldades e prisões, chineses católicos realizaram o Dia Mundial da Oração pela China, estabelecido pelo papa Bento XVI em 2007 em sua carta para os fiéis chineses.

No passado, em 24 de maio, milhares de católicos fizeram peregrinações para até as igrejas, em um gesto comum de oração e reconciliação. Desde 2008, essa data, que foi lançada pelo papa, tem sido constantemente barrada pelo governo, impedindo a participação dos fiéis no evento.

Fontes da reportagem confirmaram que, este ano, “a segurança para o evento está reforçada, com policiais e postos de controle com câmeras em todo lugar.” Houve relatos também de que a polícia levou os líderes desse movimento para fazerem “turismo pelo país, com o governo pagando tudo”, impedindo que os líderes executassem as peregrinações até os templos. No dia do evento, nenhuma das cidades que possuem comunidades cristãs secretas realizou os eventos, pois seus líderes não compareceram.

Algumas vezes, alguns grupos são capazes de burlar as leis, como relatou um jovem líder, que quase foi impedido pela polícia de chegar ao local do evento, em 2010, mas ele e seu grupo conseguiram estar presentes para comemorar a data em tempo.