Autoridades expulsam membro de igreja da cidade

As autoridades chinesas prenderam um membro de uma das maiores igrejas não registradas de Pequim na segunda-feira (27 de junho), enviando-o de volta à sua cidade natal, na província de Shandong, disseram as fontes.

Três oficiais da polícia de Pequim detiveram o membro da igreja de Shouwang por cerca de 5 horas, quando ele estava em um mercado. Eles o deixaram em um escritório em Shandong, na capital, que o enviou de volta à sua cidade natal naquela noite. Ele foi o segundo membro da igreja a ser expulso da cidade.

Os membros da igreja de Shouwang estão sendo presos porque estão sem local para se reunir e, por essa razão, se reúnem em locais públicos.

Após a expulsão de segunda-feira, o membro de Shouwang foi proibido de usar seu telefone celular. Ele foi enviado para a casa de seus pais e conseguiu mandar uma mensagem de texto aos membros da igreja. Ele disse que sua carteira de identidade fora confiscada e ele foi advertido a não voltar a Pequim antes de 1º de julho, o 90º aniversário do Partido Comunista na China. Autoridades disseram aos funcionários da aldeia onde ele está que agora o estão monitorando.

Em um comunicado oficial emitido pelos líderes da igreja de Shouwang, diziam estar indignados com o ocorrido e vão protestar contra isso.

“O exílio forçado praticado pelo governo tem demonstrado um desprezo completo para com a lei, com o efeito de privar um cidadão de qualquer garantia dos mais básicos direitos fundamentais do homem”, dizia a declaração.

A primeira expulsão de um membro de Shouwang veio depois que a igreja realizou o quinto culto consecutivo ao ar livre. Pelo menos 15 pessoas foram levadas para delegacias de toda Pequim. Todos foram liberados após 24 horas, menos o irmão preso na delegacia de Dosheng. Ele foi enviado à cidade onde seus pais foram registrados.

Após detenções anteriores, ele já havia sido forçado a deixar seu emprego como instrutor em uma escola internacional para menores de 3 anos de idade. Como ele morava na secretaria da escola, ele também perdeu sua casa.