Ore para que o Tribunal reveja o caso de Alimjan

Um tribunal local de Xinjiang decidiu rever o caso do cristão Alimjan Yimit. A esposa, Gulnur, e a mãe de Alimjan foram, na semana passada, visitar o Tribunal Superior Chinês para pedir a revisão do caso. Eles disseram que, naquele momento, eles não podiam fazer nada pelo caso. Gulnur e a mãe de Alimjan voltaram para casa muito decepcionadas.

Na mesma semana, elas ouviram que o tribunal local de Xinjiang vai olhar novamente o caso na terça-feira, dia 23 de agosto. Ore para que a justiça seja feita e que Alimjan seja libertado para se encontrar novamente com seus familiares.

Entenda o caso

As autoridades chinesas condenaram, em segredo, o cristão uigur Alimjan Yimit (Alimujiang Yimiti em chinês) a 15 anos de prisão, sob a acusação falsa de “fornecer segredos de estado a organizações estrangeiras”.

Em março do ano passado, a Justiça manteve a sentença de 15 anos imposta pela Corte Intermediária do Distrito de Kashgar, em outubro de 2009, ao então agricultor de plantações de frutas, pelo suposto vazamento de segredos de estado.

Esta sentença foi anunciada três meses depois do fim do segundo julgamento a portas fechadas, realizado para substituir o primeiro, feito um ano antes, em 27 de maio de 2008.

Foi durante o primeiro julgamento que o caso foi reenviado à polícia de Kashgar devido à falta de evidências. Enquanto esperavam passar a época politicamente sensível das Olimpíadas de 2008 na China, tentaram construir o caso contra Alimjan.

As primeiras acusações espúrias contra ele – de incitar o separatismo étnico e propagar ilegalmente sua fé cristã – foram abandonadas, enquanto Alimjan padecia em uma prisão pré-julgamento, durante todo o tempo, completamente sem contato com sua família.