Missionário na Índia recebe ordem para deixar a Caxemira

| 11/05/2004 - 00:00


Enquanto a campanha eleitoral para o parlamento da Índia alcança seu ápice, oficiais indianos ordenam que um missionário cristão deixe o país. Jim Borst, de 67 anos, diretor da Missão Mill Hill baseada no Reino Unido e operando na Caxemira desde 1963, foi convidado a deixar o país, sob o pretexto que seu visto não fora renovado. Jim também é o diretor das escolas Burn Hall e St. Joseph, na região norte do estado indiano da Caxemira.

O escritório de imigração, em Srinagar, enviou uma carta ao missionário holandês Borst, datada em 22 de abril, afirmando que sua solicitação para extensão do visto na Índia não havia sido solicitada.

O jornal United News da Índia, relatou que a carta declarava que o escritório de imigração tomou conhecimento que Borst havia deixado o país no dia 30 de dezembro de 2003 e, posteriormente, entrado no vale da Caxemira ilegalmente e sem autorização.

Assim, você violou a lei do país. Por favor, perceba que por violação da lei você pode ser processado. Por isso, mais uma vez, você é convidado a deixar a Índia imediatamente após o recebimento desta carta. Em caso de negligência, atitudes respaldadas nas Atitudes dos Estrangeiros serão tomadas contra você, declarações da carta.

O Conselho Geral dos Cristãos Indianos (CGCI) publicou protestos enérgicos contra o tormento injustificável a Jim. O membro nacional do Conselho Sajaan K. George afirmou que o Reverendo Jim é um educador de reputação internacional que têm prestado serviço aos pequenos proprietários rurais e ao povo do vale da Caxemira.

Nós sabemos que em um lugar como Srinagar, ele enfrenta tiros de terroristas e severa oposição vinda de outros grupos contra sua missão, afirmou Sajaan.

Suas quatro décadas de ativismo pacífico e campanhas contra o analfabetismo continuam a desviar terroristas de suas diabólicas agendas a terem uma abordagem mais humana. Alguns elementos no vale são resolutos em manchar sua imagem, espalhando falsos boatos contra ele, disse Sajaan numa declaração publicada pelo CGCI.

Fontes relatam que Jim é muito envolvido com o bem-estar educacional das pessoas em áreas remotas. Ele fundou a Escola do Bom Pastor, em Srinagar, com o objetivo de oferecer educação de qualidade de baixo custo às crianças.

A história cristã de 130 anos aqui na Índia é marcada pelo serviço às pessoas na área da educacional e hospitalar, contou Jim Borst ao Jornal Cristianismo Hoje, há dois anos. Ensinar tolerância através de nossas escolas é parte do nosso evangelismo.

O CGCI apelou para o presidente da Índia A.P.J. Abdul Kalam, a Comissão Nacional para as Minorias, e ao Ministro Principal de Jammu e da Caxemira Mufti Mohammad Sayeed, a fim de intervir no caso. Líderes cristãos estão pedindo ao governo para estender o visto de Jim para mais cinco anos devido ao seu interesse por pessoas em áreas remotas do estado.

A Missão Mill Hill é uma associação internacional de padres, membros leigos e associados, fundada em 1866, pelo Cardeal Católico Romano Herbert Vaughan de Westminster, Londres, para servir o pobre e o necessitado. Atualmente, aproximadamente 550 missionários da Missão Mill Hill estão ativos ao redor do mundo. Na Índia, eles trabalham com vítimas de AIDS, leprosos e surdos, e são conhecidos por viver próximo das pessoas que eles ajudam.

Jim enfrentou a desanimadora tarefa de traduzir as Escrituras para o idioma moderno da Caxemira. Até o momento, ele completou o Novo Testamento e o Livro de Salmos.

Fontes na Caxemira relataram que há poucos meses, centenas de jovens muçulmanos e hindus da classe social inferior desiludiu-se com o conflito na região e, consequentemente, se voltaram para missionários cristãos para obter respostas às suas perguntas. Essa pode ser uma das razões verdadeiras da provocação, afirmou um líder cristão na Caxemira.

A região tem tido pouca paz desde que a Grã-Bretanha separou o subcontinente indiano em linhas religiosas em 1947. Duas das três guerras ocorreram porque a Índia e o Paquistão têm lutado por sua independência da Caxemira.

Missionários cristãos na Caxemira estão enfrentando ameaças de fundamentalistas muçulmanos e hindus. Um aluno da escola bíblica Evangelho para a Ásia, Neeraj B. foi assassinado no ano passado. Muitos acreditam que radicais muçulmanos são responsáveis por sua morte.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE