Novo decreto promete mais liberdade aos cristãos do Laos

Os governantes enfrentam problemas para implementar a lei em vilarejos mais distantes

O pastor Savang* e os membros de uma igreja no norte do Laos foram ameaçados de serem expulsos do vilarejo por serem seguidores de Cristo.  Eles estavam exigindo que os cristãos negassem a Jesus e continuassem a fazer sacrifícios e ofertas aos antepassados falecidos e demais espíritos. Porém, há um novo decreto que prevê a liberdade religiosa no país. Por isso, o líder cristão e as autoridades locais se reuniram na presença dos presidentes e vice-presidente do Ministério de Assuntos Internos para entenderem como a nova lei vai garantir a proteção aos cristãos de maneira efetiva.

Durante o encontro, os cristãos deixaram claro que continuarão a crer em Jesus e somente nele, e que não praticarão mais os rituais da antiga fé animista. Eles também pediram que o governo doe um pedaço de terra às famílias que forem expulsas das vilas por causa de Cristo. Mas os funcionários e líderes locais não concordaram com o último pedido. "Não sabemos quais são as disposições desta lei, pois as pessoas na reunião continuaram falando sobre a lei, mas nunca nos explicaram o que é essa lei", afirma o pastor.

De acordo com uma colaboradora da Portas Abertas, a lei recém-implementada no país oferece liberdade religiosa, mas isso não garante a tolerância religiosa das vilas mais remotas. “Com base em experiências passadas, embora exista uma lei, seja o Decreto 92 ou o 315 que, de certa forma, oferece liberdade religiosa aos cristãos no Laos, ela não garante que não haverá perseguição ou que qualquer pedido dos cristãos será concedido pelo governo. Tudo depende do que a autoridade local diz. A teoria é diferente da prática."

Pedidos de oração

* Nome alterado por segurança.