Ore pelos cristãos perseguidos, no Dia Internacional para a Tolerância

Cristãs indianas contam como sobrevivem em meio à intolerância de extremistas

| 16/11/2019 - 06:00

Cristãs indianas contam com suas orações no Dia Internacional para a Tolerância

Cristãs indianas contam com suas orações no Dia Internacional para a Tolerância


Desde 1996, a Unesco escolheu 16 de novembro para ser o Dia Internacional da Tolerância. A data serve para lembrar ao mundo que se as diferenças culturais não puderem ser celebradas, que sejam pelo menos respeitadas. Todos os anos, a Portas Abertas define o ranking de 50 países onde a liberdade de ser cristão está ameaçada. Qualquer hostilidade vivida como resultado da identificação da pessoa com Cristo seja em ações, atitudes hostis e palavras são consideradas como a falta de tolerância religiosa e contam para a classificação dessas nações na pesquisa.

Em vilas remotas na Índia, a conversão de um hindu ou muçulmano para o cristianismo pode acarretar muitos problemas, desde xingamentos, espancamentos, até exclusão social dos indivíduos, favorecendo assim a vivência na extrema pobreza. Neesa, 55 anos, conta sua experiência com a intolerância. Ela enfrentou o alcoolismo do marido e as consequências que o vício gerava, como por exemplo, a contratação de um empréstimo impossível de quitar. Quando ela ouviu sobre Cristo, passou a frequentar uma igreja com os filhos. Mas a primeira discriminação viria de dentro de casa, quando a cristã e os filhos começaram a apanhar do companheiro diariamente. “Para salvar a minha família do abuso diário, nós fugimos de casa, mas permanecemos na vila. Desde que abracei a fé cristã, nossos pais nunca ofereceram ajuda”, testemunha.

Firmes em meio à intolerância

Após a morte do esposo, a indiana e o filho mais velho batalharam para pagar o empréstimo feito anteriormente e, pela graça de Deus, conseguiram. Com o apoio da Portas Abertas, a família de Neesa abriu um pequeno negócio de caprinos. “Era muito difícil pagar as despesas. Os parceiros da Portas Abertas conectaram-se conosco e providenciaram alguns materiais para começarmos um pequeno negócio. Eles também nos forneceram mais cabras. Nós ganhamos uma vida melhor”, conta com entusiasmo.

Panita é uma viúva que vive na mesma comunidade e frequenta a igreja de Neesa. Ela reforça que encontram muita intolerância onde vivem por professarem a fé cristã. “Recentemente, construímos um pequeno galpão na comunidade para adorarmos aos domingos. As pessoas da vila vieram e tentaram destruir as instalações. Elas também ergueram um ídolo no local e colocaram uma bandeira hindu”, revela.

Entretanto, mesmo sofrendo perseguição por todos os lados, os cristãos do vilarejo de Neesa e Panita contam com o apoio e orações dos parceiros da Portas Abertas de todo mundo para se manterem firmes e testemunhas de Cristo onde estão. “Apesar de  destruírem o pequeno galpão, nós o reconstruímos. Quando nos encontramos, oramos e compartilhamos as nossas preocupações e isso nos dá encorajamento”, conclui Neesa.

Pedidos de Oração

  • Ore para que os cristãos sejam conhecidos em todo mundo pelo amor e tolerância. Que sejamos cheios de empatia, semelhantemente a Cristo.
  • Interceda para que os irmãos e irmãs que enfrentam perseguição sintam-se amparados e consolados e, assim, consigam permanecer na fé cristã.
  • Agradeça a Deus pelos cristãos espalhados pela Índia, e peça para que ele continue a prover meios de sustento e suprimento das principais necessidades deles.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE