Proibido cantar ou dançar durante o Ramadã

| 05/07/2016 - 00:00


05_Nigeria_2015_0380101446

Durante todo o período do Ramadã, o governo gambiano proibiu “festas, cerimônias e qualquer outra comemoração que envolva música ou dança”. O decreto tem validade até o final da temporada do jejum islâmico, tanto durante o dia, como à noite. A liderança foi muito clara quanto à violação dessa determinação: “aquele que desobedecer deverá ser preso”. Levando em conta que 90% da população é muçulmana, a pressão sobre a minoria religiosa é grande.

Embora não haja nenhuma especificação de que a proibição inclua também os eventos musicais dentro das igrejas, durante os cultos, os líderes devem ser cautelosos, já que o presidente Yahya Jammeh declarou oficialmente, em 2015, que a nação é um “Estado islâmico”. “O destino da Gâmbia está nas mãos de Alá, o todo poderoso. A partir de hoje, a Gâmbia é um Estado islâmico que respeita os direitos dos cidadãos”, disse Jammeh que é militar de carreira e já foi acusado de várias violações de direitos humanos. Desde 1994 ele impôs a ditadura no país.

A perseguição aos cristãos não chegou ao nível de incluir o país entre os 50 da Classificação da Perseguição Religiosa, mas o posiciona em 64º lugar. A vida cristã no Gâmbia enfrenta certa repressão e a igreja é monitorada frequentemente. Não há relatos de incidentes violentos até o momento, na menor nação africana que tem enfrentado crise financeira e um sério contexto de narcotráfico. Os cristãos devem ficar atentos à lei que vigora no país, principalmente tendo um líder ditador que vem alterando a Constituição conforme as especificações do islã. Ore por essa nação.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE