Quais as consequências da morte do líder da Al-Qaeda?

Possibilidade de retaliações por causa da morte do líder da Al-Qaeda gera insegurança

| 04/08/2022 - 08:00

Cristãos enfrentam grande pressão no Afeganistão sob o governo do Talibã

Cristãos enfrentam grande pressão no Afeganistão sob o governo do Talibã


O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou na segunda-feira, 1 de agosto, que Ayman al-Zawahiri, sucessor de Bin Laden na Al-Qaeda, foi morto na capital do Afeganistão, Cabul, por um drone americano. Ayman era egípcio, tinha 71 anos, era um dos homens mais procurados do mundo e estava desaparecido há dez anos. A tecnologia do míssil americano Hellfire permitiu o ataque preciso, sem explosões, atingindo apenas o líder, sem outras vítimas e sem presença de militares estadunidenses no território.


Ayman foi parte importante dos ataques em setembro de 2001 nos Estados Unidos, era o médico particular de Bin Laden e braço direito do fundador. Ele assumiu a Al-Qaeda depois que Bin Laden foi morto em 2011, em uma operação secreta americana no Paquistão. Ayman herdou o grupo enfraquecido e tentou uma “reconstrução silenciosa”, mas além da ausência de Bin Laden, a Primavera Árabe aumentou a instabilidade desse processo.


Apesar desse contexto, Ayman conseguiu fortalecer o grupo, reunir afiliados de várias partes do mundo e organizou ataques pontuais, mantendo o ideal da jihad, a guerra contra influências do Ocidente, o que inclui o cristianismo. Outros grupos jihadistas, incluindo o Talibã e o Estado Islâmico, também permanecem ativos na luta contra a cultura ocidental.


Segundo o portal de notícias Uol, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse na segunda-feira que, ao "abrigar e proteger" Ayman, o Talibã "violou de maneira grosseira o acordo de Doha", que previa a retirada das tropas americanas do Afeganistão. No âmbito desse acordo, o Talibã prometeu não voltar a abrigar jihadistas, mas, segundo analistas, o grupo nunca rompeu seus laços com a Al-Qaeda.


Considerando-se que há quase um ano o Afeganistão foi tomado pelo Talibã, após retirada das tropas americanas, há a insegurança de que a morte de Ayman também provoque novos conflitos com os extremistas, o que afeta profundamente a vida dos cristãos perseguidos.


Pedidos de oração

  • Ore pelo governo do Afeganistão para que saiba resolver os dilemas com sabedoria e sem prejudicar a população.
  • Rogue pelos cristãos no Afeganistão, para que estejam seguros apesar da instabilidade política.
  • Peça a Deus que transforme o coração dos extremistas por meio da graça de Jesus, para que deixem de perseguir os cristãos.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE