Relatório conscientiza sobre violações dos direitos humanos na América

| 30/01/2015 - 00:00


30_Venezuela_reuters

O acúmulo de poder e o não cumprimento das garantias individuais permitiram que o governo venezuelano ""intimidasse, se transformasse em censor e perseguisse seus críticos"", diz a HRW no Relatório Mundial 2015 (disponível em inglês).

Outros países
O relatório também cita a Argentina, afirmando que continuam existindo ameaças à liberdade de expressão e uma pequena compreensão da legislação sobre liberdade de imprensa.

HRW também critica o governo mexicano por ter realizado poucas ações de combate à corrupção e à impunidade, o que resultou em uma ""epidemia"" de graves abusos. A chamada ""guerra às drogas"", lançada em 2006 no país, com forte atuação militar contra os cartéis de drogas, ""resultou em uma epidemia de execuções sumárias, desaparecimentos forçados e tortura por parte de militares e policiais"", afirma o documento.

Para a ONG, o atual presidente Enrique Peña Nieto ""não realizou ações significativas para acabar com a corrupção e a impunidade, o que permitiu o aumento dessas atrocidades"". Os abusos culminaram no desaparecimento, e provável morte, de 43 estudantes no Estado de Guerrero.

A perseguição aos cristãos nesses países
Todos os anos, a Portas Abertas publica a Classificação da Perseguição Religiosa, lista dos 50 países que mais perseguem os cristãos. Em 2015, Colômbia e México ocupam o 35º e o 38º lugar do ranking, respectivamente.

Venezuela, Cuba e Bolívia não estão entre as 50 nações da classificação, mas também são palco de perseguições relacionadas à fé cristã. A Portas Abertas está preparando um material especial sobre a América Latina. Em breve, estará disponível no site.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE