Saiba como está sendo o DIP 2019

Cristãos brasileiros são impactados com a realidade enfrentada por nossos irmãos da Coreia do Norte e se levantam em oração por eles

Com mais de 10.700 igrejas cadastradas para realizar o Domingo da Igreja Perseguida, neste 16 de junho a igreja brasileira realiza o maior movimento nacional de oração pelos cristãos perseguidos. O foco deste ano é a Coreia do Norte, país onde é mais difícil viver como cristão. Em cada igreja local, de norte a sul do país, cristãos se reúnem para lembrar dos nossos irmãos norte-coreanos e ser um com os cerca de 300 mil cristãos locais. E “lembrar”, nesse caso, significa conhecer a realidade, interceder e se comprometer a ajudá-los.

Os depoimentos sobre a realização do DIP chegam de vários lugares do país. São diferentes denominações se unindo em prol de uma mesma causa: a dos cristãos perseguidos. Veja o que disseram nossos irmãos pelo Instagram:

O irmão José Milton dos Santos participou do DIP na Assembleia de Deus de Guarulhos e compartilha que achou o evento muito interessante, pois ajuda as pessoas a se despertarem para orar, pois vivemos em um país onde há total liberdade. O que mais o impactou foi o fato de saber que os cristãos da Coreia do Norte, quando se reúnem, têm que fazê-lo em secreto, sussurrando, para não serem ouvidos por pessoas de fora. “Aqui, a gente pode falar abertamente do evangelho, enquanto eles têm que fazer secretamente, e isso me toca, é muito importante para nos despertar”, comenta ele.

O pastor Rui Prates, da Igreja Batista da Vila Rubi, em São Paulo, diz que há sete anos realiza o DIP. Este ano, com o foco na Coreia do Norte, ele afirma: “Como o país onde há mais perseguição, nós queremos aprender mais sobre a Coreia do Norte para ver como podemos ajudar”. Além disso, ele deixa uma palavra a outros pastores e líderes, dizendo: “Os pastores têm uma grande responsabilidade na evangelização do mundo. Nós fazemos parte de um grupo a quem Deus confiou um ministério tão importante, então não podemos ficar de fora do primeiro projeto de Jesus, que é alcançar as nações”.

Mais uma vez, o DIP cumpre seu objetivo de divulgar a causa da Igreja Perseguida, conscientizando sobre a realidade que nossos irmãos enfrentam por amor a Cristo. A irmã Josi, da Igreja Apostólica Fonte de Alívio, em São Paulo, foi uma das que descobriu hoje essa realidade. Ela compartilha como o Espírito Santo tocou em seu coração para interceder pelos cristãos perseguidos: “Eu não tinha conhecimento do ministério da Portas Abertas nem de como as pessoas sofriam por ser cristãs. Mas o Espírito Santo me trouxe uma dor para sentir o que elas passam e daqui para frente, todos os dias, eu orar por elas. Temos que nos fortalecer em Cristo, para ajudar a fortalecer a igreja e, assim, independentemente de igrejas ou placas, possamos adorar a Cristo e amar os nossos irmãos perseguidos”.