Vilas da Nigéria são atacadas durante quarentena da COVID-19

Extremistas mataram cristãos e incendiaram casas e armazéns de alimentos

| 06/04/2020 - 06:00

Cristãos na Nigéria enfrentam a COVID-19 e os ataques de extremistas islâmicos

Cristãos na Nigéria enfrentam a COVID-19 e os ataques de extremistas islâmicos


Apesar dos bloqueios e toques de recolher impostos pelos governantes da Nigéria, extremistas desobedeceram às ordens e atacaram diversas vilas no país. Na segunda-feira, 30 de março, radicais islâmicos invadiram duas aldeias em Chikun, ao sul do estado de Kaduna, e mataram dez cristãos. Os moradores da região acreditam que o incidente é resultado dos planos de banir a presença dos seguidores de Jesus da região. Outros dois cristãos que estavam na área do governo também foram vítimas. Um foi o ex-chefe do distrito, Danlami Barden, e o outro foi o irmão dele, Musa Barde.

No primeiro dia de abril, militantes fulani atacaram a comunidade Ancha, no estado de Plateau. Dois homens e uma mulher grávida de três meses foram exterminados durante a ofensiva. De acordo com o presidente da Associação de Desenvolvimento da Juventude de Miango, Nuhu Nkali, muitas pessoas estão desabrigadas porque 17 casas também foram incendiadas, bem como reservas de alimentos e motos. “Nossa comunidade tem estado sob o cerco dos pistoleiros nos últimos tempos, mas acreditamos que o último ataque ao nosso povo poderia ter sido evitado porque, quando notamos movimentos estranhos e suspeitos (terça à noite), a comunidade se esforçou para alertar os agentes de segurança, mas nada foi feito", afirma.

Outro líder da comunidade, Sunay Abdul, confirmou o acontecimento e contou que os radicais eram numerosos. “Ninguém podia resistir a eles. Eles incendiaram casas aleatoriamente, queimaram quatro carros e mataram três pessoas, enquanto sete outras sofreram vários tipos de ferimentos”, testemunhou. Mas essas não foram as únicas ofensivas. De acordo com a Fundação Stefanos, que tembém presta assistência a cristãos perseguidos no país, as aldeias de Hulke e Nkiedoro também foram atacadas, com o incêndio de 38 casas. Porém, não houve dados sobre mortes e nem feridos. 

Os ataques na Nigéria não param por aí. Um deles ocorreu no dia 24 de março. Os militantes fulani mataram cinco pessoas e feriram duas, na área do governo local de Bassa. No dia seguinte, os agressores retornaram e atiraram nas mulheres enlutadas, duas delas morreram. Eles seguirem para Gbra-Zongo e assassinaram mais três crianças. “Não sabemos o que fizemos para atrair essa maldade contra nosso povo, sem que as autoridades nos protejam e impeçam que os homens armados causem mais estragos em nossa comunidade”, completou Nkali.

A Portas Abertas pediu ao governo que garanta a segurança de todos os nigerianos e que trabalhe para acabar com a impunidade e impedir a ação de radicais que atacam diversas áreas na Nigéria, especialmente durante a quarentena contra a COVID-19. “Também é urgente abordar a negligência das agências de segurança que as comunidades cristãs continuam apontando", afirmou Jo Newhouse*, porta-voz do trabalho na África Subsaariana. Ele também pediu que irmãos e irmãs ao redor do mundo lembrem-se em oração dos cristãos que vivem em todo o país.

Pedidos de oração

  • Interceda por todos as pessoas que perderem entes queridos nos ataques da Nigéria. Peça que o Espírito Santo console cada coração e os encha de esperança.
  • Clame pelas autoridades governamentais, para que elas tenham sabedoria e sede de justiça. Que o Senhor dê maneiras efetivas para combater os ataques.
  • Ore para que Deus frustre os grupos extremistas, e que cada integrante possa ter um encontro verdadeiro com Jesus e tenha a vida mudada por ele.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE