Tolerância

| 22/03/2005 - 00:00


Há uma célebre frase do pensador francês Voltaire - 1694 a 1778 - que, nos últimos séculos, vem inspirando o conceito de tolerância. A frase é mais ou menos a seguinte, dependendo da tradução que se usa: "discordo completamente do que dizes, mas morreria pelo direito que tens de o dizer".

Este pensamento não necessariamente é de origem bíblica e, dizem os historiadores, que Voltaire, sendo também um historiador, em sua obra fez questão de não ocupar-se da história judaico cristã, buscando contribuir com o entendimento, ainda insuficiente à época,  que se tinha das civilizações do oriente.

De todo modo, é forte o conceito de tolerância que se deriva do mesmo.

Tolerar é dispor-se à convivência com pessoas de quem se discorda. Tolerar não é aceitar, não é evitar a discordância, é reconhecê-la mas recusar-se a agredir o discordante. Nesse sentido, tolerar pode implicar a tentativa de trazer o outro para seu ponto-de-vista mas respeitando o direito do outro de manter-se no ponto-de-vista dele.

Este conceito tem baseado instituições, leis e organizações, haja vista os inúmeros exemplos de entidades  dedicadas à liberdade de consciência em todo o mundo.

Neste contexto, um fato tem ultimamente trazido uma certa preocupação àqueles envolvidos com evangelismo. Mais e mais, em nome da tolerância, pessoas têm sido incriminadas por apresentar o evangelho a quem ainda aparenta não o conhecer.

Cortes na Alemanha, na França e em outros países europeus, têm promulgado sentenças em que grupos foram acusados de "intolerantes" por pregar que as pessoas podem encontrar refúgio em Cristo e Sua Palavra.

Outro aspecto deste novo conceito de tolerância pode ser a impossibilidade de se relatarem exageros contra minorias cristãs. Está em curso no Reino Unido a análise de uma lei que poderá impedir Portas Abertas daquele país de relatar os fatos de hostilidade de que são vítimas cristãos em países onde é forte a intolerância contra cristãos*.

O que será isso?

Será que agora a  "tolerância" será motivo de novas hostilidades? Será que um novo conceito será pretexto para um alastramento das restrições à opção cristã, criando limitações sem localização fixa impossibilitando o apoio direto?

Se isso se confirmar, brevemente a Classificação de Países por Perseguição será um instrumento de pouca utilidade pois haverá discriminação em todos os países mas não será possível medir onde seja maior ou menor.

Mas, esta não é a maior preocupação.

O que importa é que todos os que, como Voltaire, estão dispostos a morrer pelo direito de manifestações discordantes atentem para a instauração deste novo conceito, pois as conseqüências finais são ainda difíceis de prever.

Douglas Monaco - Secretário Geral de Portas Abertas Brasil

*Sugestão para quem quiser saber mais: visitar a seção de Notícias em http://www.portasabertas.org.br/noticias/ onde estão registradas estas sentenças legais. Outra sugestão é conhecer o livro "Resistência Cristã" que, com mais profundidade, discute esta tendência de tolerância para o século XXI.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE