Cristãos são discriminados no Laos

Dia Mundial de Zero Discriminação: ore pelos cristãos discriminados por causa da fé

| 01/03/2022 - 08:00

Cristã foi impedida de fazer curso de subsistência gratuito para mulheres por causa da fé (foto representativa)

Cristã foi impedida de fazer curso de subsistência gratuito para mulheres por causa da fé (foto representativa)


Hoje, 1º de março, é comemorado o Dia Mundial de Zero Discriminação. A data, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), visa discutir as discriminações enfrentadas pelos cidadãos em todo o mundo.  

No Laos, embora as autoridades neguem que os cristãos locais sofram qualquer tipo de discriminação, os cristãos são discriminados e humilhados por causa da fé. Apesar do fato de a Constituição do Laos garantir o direito dos cidadãos à liberdade religiosa, de acordo com a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos, o governo restringe regularmente as atividades de culto cristão. 

A liberdade dos seguidores de Jesus no país é severamente restringida pelo intenso monitoramento das autoridades comunistas. Igrejas domésticas que não têm aprovação administrativa são consideradas ilegais e realizam cultos de forma clandestina. 

 

Cristã é excluída de treinamento profissional 

No Sul do Laos, o casal Khai* e Fon* foi discriminado por causa do amor a Cristo. Durante oito anos, Khai fez parte do serviço militar no Laos. Ele era constantemente ameaçado de perder o emprego por ser cristão. Ele desistiu do emprego, mas não renunciou à fé em Jesus.  

Fon, a esposa de Khai, não foi autorizada a participar de um treinamento de subsistência. Ela se inscreveu para participar de um treinamento gratuito para formação de mulheres costureiras. O curso aconteceria na aldeia onde vive com a família, mas no processo final da inscrição, Fon foi questionada sobre a fé em Jesus.  

Depois de concluir todas as fases da inscrição, o gerente do treinamento informou que ela não poderia participar do curso a não ser que pudesse pagar todas as despesas do treinamento.  

 

Culpados por colheita ruim 

Desde 2018, quando tiveram um verdadeiro encontro com Jesus e escolheram caminhar na fé cristã, Somkhit* e Anida* passaram a ser discriminados na aldeia onde vivem com os seis filhos na região norte do Laos.  

O chefe da aldeia deixou a família cristã sem instalação do sistema de água e disse que, se eles quisessem água, teriam que buscar. A comunidade zomba e discrimina o casal e os filhos. Como a aldeia de Somkhit e Anida sobrevive da agricultura, eles foram apontados como responsáveis pela má colheita.  

Em 2020, a falta de chuva atrapalhou o desenvolvimento do plantio na aldeia, e a comunidade se revoltou com a presença dos cristãos no local. Para os vizinhos, a falta de chuva foi um castigo dos espíritos furiosos, porque a família deixou o animismo para seguir a fé cristã.  

A Portas Abertas acredita no princípio de acabar com as discriminações enfrentadas por cristãos em todo o mundo. Seja você também um agente de transformação. Com a sua doação, você ajuda a promover projetos que auxiliam os cristãos perseguidos com recursos básicos de saúde, alimentação, ajuda socioeconômica, alfabetização e programas de discipulado.  

*Nomes alterados por segurança. 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE